Fale Conosco

11 de maio de 2015

Hemocentro Regional de Campina lembra Dia Mundial da Hemofilia nesta terça-feira



O Hemocentro Regional de Campina Grande realiza, nesta terça-feira (12), uma programação especial para lembrar o Dia Mundial da Hemofilia, que aconteceu no dia 17 de abril. Na oportunidade, será apresentado o programa Fator Decisivo, da Federação Brasileira de Hemofilia (FBH), que visa esclarecer e compartilhar informações para que os pacientes possam conviver da melhor forma possível com a hemofilia. A programação será aberta às 8h30, pela diretora geral do Hemocentro Regional, Marisa Agra, e será realizada no auditório.

Depois da abertura, acontece a apresentação do programa Fator Decisivo, que será feita pelo presidente da Sociedade de Hemofílicos da Paraíba (SHPB), Elias Marques Ferreira. Em seguida, o tema “Fator Decisivo: esclarecer para prevenir” será debatido pela professora Rosa Rita Marques aos participantes do evento, que inclui os profissionais do Hemocentro, os pacientes atendidos pelo serviço, cuidadores e familiares.

Um dos médicos hematologistas do Hemocentro, Roberto Grisi, falará sobre o “Acolhimento ao paciente com Hemofilia da Paraíba” e em seguida, mães de pacientes darão depoimentos para outras mães e pais relatando temas como a descoberta da doença e as medidas adotadas para melhorar a qualidade de vida dos seus filhos. Um momento de animação com os pacientes, além da distribuição de brindes e um lanche, encerram a programação.

Atualmente, o Hemocentro Regional de Campina Grande possui cem pacientes hemofílicos cadastrados e atendidos pelo Setor de Apoio ao Paciente, que possui uma equipe de profissionais multidisciplinar, formada por médicos hematologistas, psicólogos, odontólogos, fisioterapeutas, assistente sociais, enfermeiros e técnicos de enfermagem, que oferecem aos pacientes dispensação de fatores para profilaxia e o tratamento indicado para cada caso.

Hemofilia – A hemofilia é um distúrbio genético e hereditário que afeta a coagulação do sangue e manifesta-se quase exclusivamente no sexo masculino. Para o tratamento da doença, os componentes de sangue mais necessitados são os fatores 8 e 9. Esses fatores – assim como a albumina e imunoglobulina – são adquiridos por meio do processamento do plasma, que é retirado do sangue dos doadores juntamente com plaquetas e hemácias. Nos quadros graves e moderados, os sangramentos acontecem espontaneamente e em geral, são hemorragias intramusculares e intra-articulares que desgastam primeiro as cartilagens e depois provocam lesões ósseas. Os principais sintomas são dor forte, aumento da temperatura e restrição de movimento. As articulações mais comprometidas costumam ser joelho, tornozelo e cotovelo.

Os episódios de sangramento podem ocorrer logo no primeiro ano de vida do paciente sob a forma de equimoses (manchas roxas), que se tornam mais evidentes quando a criança começa a andar e a cair. No entanto, quando acometem a musculatura das costas, não costumam exteriorizar-se. Nos quadros leves, o sangramento ocorre em situações como cirurgias, extração de dentes e traumas.