Fale Conosco

19 de setembro de 2013

Hemocentro realiza Encontro de Hemofilia da Hemorrede da Paraíba



O Hemocentro de João Pessoa realiza nesta sexta-feira (20) o I Encontro de Hemofilia da Hemorrede da Paraíba, formada por dez hemonúcleos e dois hemocentros. O evento acontece a partir das 8h30, no Victory Hotel, na Praia de Tambaú, na Capital, e é patrocinado pela Empresa Baxter, que fornece os fatores sanguíneos VIII e IX usados pelos hemofílicos.

De acordo com a diretora do Hemocentro de João Pessoa, Sandra Sobreira, o objetivo do encontro é capacitar os profissionais da hemorrede paraibana em procedimentos técnicos cada vez mais modernos e que tragam resultados eficazes no tratamento dos distúrbios da coagulação.

Entre os temas que serão discutidos estão: Os aspectos gerais da hemofilia, Importância da fase pré-analítica sobre a qualidade dos exames de hemostasia (coagulação), Evolução do tratamento da hemofilia, Educação do paciente, Episódios hemorrágicos e Profilaxias e imunotolerância: princípios e protocolos brasileiros. Esses assuntos serão abordados por profissionais da Empresa Baxter, pelas Fundações de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco e da Bahia– Hemope e Hemoba, respectivamente, e por profissionais do Hemocentro de João Pessoa.

Dados – A Paraíba possui cerca de 270 hemofílicos que recebem atendimento em toda a rede formada pelos Hemocentros de João Pessoa e Campina Grande e pelos hemonúcleos. “Para garantir o atendimento, o Governo do Estado tem procurado a cada dia melhorar os serviços em toda a sua rede de saúde e no Hemocentro não poderia ser diferente”, destacou Sandra Sobreira.

Nesses locais os pacientes recebem um atendimento especial de uma equipe multiprofissional formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e fisioterapeutas. Sandra Sobreira afirmou que o Governo do Estado tem trabalhado para oferecer um atendimento humanizado e de qualidade ao hemofílico.

A chefe do setor de Hematologia do Hemocentro de João Pessoa, Sandra Sibele Figueiredo, explicou que os pacientes graves precisam tomar o componente sanguíneo três vezes por semana enquanto que os outros pacientes só precisam fazer uso do componente se apresentar sangramento.

Hemofilia – A hemofilia é um distúrbio na coagulação do sangue, classificada nos tipos A e B. É uma doença genética, ou seja, transmitida dos pais para os filhos. Quando alguma parte do nosso corpo é cortada e começa a sangrar, as proteínas (elementos responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de todos os tecidos do corpo) entram em ação para estancar o sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal.

Na fase adulta, as hemorragias são menos frequentes, já que as atividades físicas tendem a diminuir de acordo com a idade e, portanto, os pequenos traumas (pancadas) também diminuem. Geralmente, os sangramentos são internos, mas também podem ser externos, na pele, provocados por algum machucado com aparecimento de manchas roxas ou sangramento. As mucosas (como nariz, gengiva) também podem sangrar. Os sangramentos tanto podem surgir após um trauma ou sem nenhuma razão aparente. Os cortes na pele levam um tempo maior para que o sangramento pare.

O paciente deve fazer exames regularmente e jamais utilizar medicamentos que não sejam recomendados pelos médicos.