Fale Conosco

14 de junho de 2011

Hemocentro realiza coleta de sangue na Lagoa nesta quarta



O Hemocentro da Paraíba dá continuidade à programação das coletas externas para o mês de Junho. Durante toda a quarta-feira (15), a unidade móvel do Hemocentro estará no Parque Sólon de Lucena (Lagoa). Só no mês de junho, já foram realizadas coletas na cidade de Rio Tinto e Grupamento de Engenharia, em João Pessoa, onde foram coletadas 58 bolsas de sangue.

Estão programadas coletas de sangue nos dias 20 e 22 de Junho, também no Parque Solon de Lucena. No dia 29, uma unidade móvel será instalada no supermercado Makro, localizado às margens da BR-230.

As coletas externas fazem parte da campanha Acenda a Fogueira do seu Coração – Doe Sangue.  O projeto pretende garantir o estoque para o período festivo que abrange todo o mês de junho, quando é registrado um aumento no número de atendimentos.

A demanda atual do Hemocentro da Paraíba varia de 100 a 150 bolsas de sangue ao dia. Em períodos festivos, a demanda aumenta, em virtude do número maior de atendimentos, que passa a ser de 200 a 250 bolsas de sangue ao dia.

Doação de sangue – Para ser doador, é preciso ter entre 18 e 65 anos de idade, estar com peso acima de 50 kg, não fazer uso de medicamentos controlados, não ter ingerido bebida alcoólica até 24 horas antes da doação e gozar de boa saúde. Todo o material coletado passa por exames de sífilis, HIV, hepatite B e C, entre outros que garantam a qualidade do sangue coletado. “Não existe risco no ato de doar sangue. Todo o material é descartável e também não é necessário ficar doando sangue sempre porque doou uma vez”, lembrou a assistente social do Hemocentro da Paraíba, Divane Cabral.

Fortalecimento do estoque – A diretora do Hemocentro, Sandra Sobreira, explicou que a rede de hemonúcleos está contribuindo para fortalecer o estoque de bolsas de sangue do Hemocentro, em João Pessoa. A rede tem unidades em Princesa Isabel, Picuí, Itaporanga, Piancó, Patos, Sousa, Cajazeiras, Guarabira, Monteiro e Catolé do Rocha, além do Hemocentro de Campina Grande.

Sandra Sobreira ressaltou em alguns municípios, o número de transfusões é menor que o volume de bolsas de sangue coletadas e, com isso, o excedente é transferido para a Capital, reforçando a demanda. A transferência do produto é feita através da utilização de carros refrigerados. Em João Pessoa, o material passa por 24 horas de inspeção para que seja conferida a qualidade e possibilitar o seu aproveitamento.

O ato de doar sangue é, antes de tudo, um gesto de amor ao próximo. Cada vez que uma pessoa doa sangue, salva a vida de até quatro pessoas. A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde do doador e sua recuperação é imediata. Os tipos sanguíneos mais procurados são: A+ e O+. A tipagem mais rara, que pertence a apenas 0,3% da população, é o AB-.