João Pessoa
Feed de Notícias

Hemocentro desenvolve ações no Dia Nacional do Doador de Sangue

segunda-feira, 25 de novembro de 2013 - 15:20 - Fotos:  Ricardo Puppe

Os doadores de sangue que foram na manhã desta segunda-feira (25) ao Hemocentro da Paraíba foram recebidos com festa, em comemoração ao Dia Nacional do Doador de Sangue. Durante toda a manhã foram realizadas diversas atividades em comemoração à data, como acolhimento, ginástica laboral, animação, apresentação de vídeos educativos, distribuição de brindes, como também uma homenagem aos doadores aniversariantes e aos que realizam maior número de doações.

De acordo com a chefe do Núcleo de Ações Estratégicas do Hemocentro, Divane Cabral, essa é uma maneira de agradecer àqueles que ajudam a salvar vidas. “Essa comemoração, além de uma homenagem aos doadores, é o nosso modo de agradecer a essas pessoas que tanto ajudam doando vida para ajudar ao próximo”.

Divane lembrou também que o número de doadores ainda é insuficiente para atender toda a demanda. “Hoje nós temos uma média de 150 a 200 doadores por dia e o ideal, para ficarmos tranquilos com relação à demanda, seria 250 doadores. Nossa demanda é muito grande. Liberamos sangue para todos os hospitais públicos e privados da Paraíba, como também para aquelas pessoas portadoras de câncer, que precisam de transfusão de sangue”, disse.

Doadora desde 2010, Maria Lucinalda da Silva doou pela primeira vez para a tia de um colega de trabalho e não parou mais. Ela estava doando dessa vez para um vizinho e ressaltou a importância de se tornar um doador de sangue. “É importante doar, primeiro por amor ao próximo mesmo. Tantas pessoas necessitam de sangue e às vezes não recebem porque não tem doadores suficientes. Devemos ver isso como um ato de amor e caridade”, disse.

Ela também lembrou que doar sangue é algo simples e rápido. “Algumas pessoas ainda têm certo medo, mas doar sangue não é nenhum bicho de sete cabeças. Não dói, não faz mal e é super rápido. A enfermeira que me atendeu hoje falou que eu doei em apenas quatro minutos. Ou seja, com um pequeno e simples gesto de amor, a gente pode salvar muitas vidas”, concluiu a doadora.

Hemocentro – A Rede Hemocentro da Paraíba é responsável por atender 40 hospitais, cobrindo 100% dos leitos do Sistema Único de Saúde e mais os leitos de planos de saúde cadastrados. É composta por uma rede de dez hemonúcleos distribuídos nos municípios de Guarabira, Picuí, Monteiro, Princesa Isabel, Patos, Piancó, Itaporanga, Cajazeiras, Sousa e Catolé do Rocha, além de um regional em Campina Grande.

Para manter o estoque de sangue, o Hemocentro desenvolve várias ações de caráter educativo e de mobilização junto à população paraibana, a exemplo das coletas externas de sangue, que são realizadas mensalmente em órgãos públicos e privados, como também as campanhas que acontecem em datas especiais, como Dia das Mães, Dia dos Pais, Mês da Mulher (março), Carnaval, São João e Final de Ano, dentre outras.

Serviços – O Hemocentro também oferece atendimento especial ao hemofílico. Cerca de 300 pacientes recebem atendimento em toda a rede formada pelos Hemocentros de João Pessoa e Campina Grande e pelos Hemonúcleos. “O Governo do Estado tem procurado melhorar o atendimento à população em toda a sua rede de saúde e no Hemocentro não poderia ser diferente”, destacou a diretora do Hemocentro, Sandra Sobreira.

O Hemocentro também implantou o Laboratório de Biologia Molecular e Paternidade, que é pioneiro na realização de exames de DNA que comprovam a paternidade e/ou maternidade. As solicitações dos exames são feitas pelo Ministério Público. Elas fazem parte do Projeto Nome Legal, que tem como objetivo reduzir o número de crianças e adolescentes registrados sem o nome do pai, ou, em alguns casos, sem o nome da mãe.

O Hemocentro da Paraíba é a única unidade de saúde pública do país a ter um laboratório de Testagem de Ácidos Nucleicos (NAT), que realiza os exames para diagnóstico das Hepatites B e C e HIV I e II. O serviço representa um avanço tecnológico e, com isso, o Governo do Estado está oferecendo à população paraibana um sangue de qualidade e com alto padrão de segurança. Os exames realizados pelo NAT diminuem o risco de infecções contraídas por meio de transfusões de sangue, reduzindo de três meses para sete dias o período chamado de ‘janela imunológica’, ou seja, o prazo em que começam a aparecer no sangue manifestações clínicas de contaminação por vírus.