Fale Conosco

3 de junho de 2011

Hemocentro define programação das coletas para garantir estoque de sangue



O Hemocentro da Paraíba, que integra a rede hospitalar do Estado da Paraíba, define a programação das coletas externas de sangue para garantir o estoque para o mês de junho. Ao todo, serão realizadas oito coletas externas, que devem ocorrer em locais com grande movimentação, à exemplo de praças, supermercados, faculdades e fábricas.

Nesta quarta-feira (8), a unidade móvel do Hemocentro estará no Grupamento de Engenheira, na Avenida Epitácio Pessoa. Nos 15 e 20 serão realizadas duas coletas no Parque Sólon de Lucena. No dia 22 de junho, a coleta será feita no Sindicato dos Comerciários. Para fechar a programação, no dia 29, haverá postos de coleta no pátio do Supermercado Makro, às margens da BR-230, na entrada no conjunto Esplanada.

De acordo com a assistente social, Divane Cabral Pinheiro Macedo, chefe do Núcleo de Ações Estratégicas do Hemocentro, as coletas de sangue serão realizadas todos os meses, a fim de garantir os estoques de sangue. “O Hemocentro quer manter o estoque em especial para esse mês de junho, quando acontecem os festejos juninos e a demanda de sangue aumenta por causa dos acidentes automobilísticos que crescem e outras ocorrências como queimaduras”, avaliou.

Divane Cabral afirmou que muitas vezes são as próprias empresas, instituições e órgãos públicos e privados que ligam para o Hemocentro e solicitam a coleta externa de sangue. “Mas, quando isso não acontece, a gente mesmo se encarrega de fazer esses contatos e oferecer o serviço”, disse. O telefone para solicitar coleta externa de sangue é o 3218-7698.

Requisitos - Para ser doador, é preciso ter entre 18 a 65 anos de idade, estar com peso acima de 50 kg, não fazer uso de medicamentos controlados, não ter ingerido bebida alcoólica até 24 horas antes da doação e gozar de boa saúde. Todo o material coletado passa por exames de sífilis, HIV, hepatite B e C, entre outros que garantam a qualidade do sangue coletado. “Não existe risco no ato de doar sangue. Todo o material é descartável e também não é necessário ficar doando sangue sempre porque doou uma vez”, lembrou Divane Cabral.

Fortalecendo o estoque – A diretora do Hemocentro, Sandra Sobreira explicou que a rede de hemonúcleos está contribuindo para fortalecer o estoque de bolsas de sangue do Hemocentro, em João Pessoa. A rede tem unidades em Princesa Isabel, Picuí, Itaporanga, Piancó, Patos, Sousa, Cajazeiras, Guarabira, Monteiro, Catolé do Rocha além do Hemocentro de Campina Grande.

Sandra Sobreira ressaltou que o sangue é fundamental e salva vidas em momentos de urgência. “Algumas vezes nos municípios, o número de transfusões é menor que o volume de bolsas de sangue coletadas e, com isso, o excedente é transferido para a Capital, reforçando o estoque. A transferência do produto é feita em carro refrigerado e em João Pessoa o material passa por 24 horas de inspeção para conferir a qualidade e possibilitar o seu aproveitamento”, declarou.

A diretora concluiu dizendo que a quantidade de sangue retirada não afeta a saúde do doador e sua recuperação é imediata. Os tipos sanguíneos mais procurados são: A+ e O+, enquanto que o tipo mais difícil de obter é o AB-, pois apenas 0,3% da população possuem esta tipagem.