Fale Conosco

16 de abril de 2012

Hemocentro de CG comemora o dia do hemofílico com ação social e palestras



Dezessete de abril é o Dia Internacional do Hemofílico. Para comemorar a data, o Hemocentro Regional de Campina Grande organizou uma programação especial. Pela manhã, a equipe multidisciplinar, composta por assistentes sociais, enfermeiros, odontólogos, fisioterapeutas e estudantes de fisioterapia da Facisa, estará na Praça da Bandeira para a conscientização sobre a doença e o seu tratamento, além de aferição de pressão e teste de glicemia.

Dando continuidade à programação, a partir das 14h, no auditório do Hemocentro, serão ministradas palestras sobre “A importância da hidroterapia para pacientes hemofílicos”, “Direitos dos Hemofílicos junto à Previdência Social”, com a assistente social do INSS Socorro Lopes e “Demonstração prática da manipulação de fator em casa”, com a enfermeira do Hemocentro, Enedina Marques. As palestras serão destinadas aos pacientes, familiares e interessados no tema. Haverá ainda sorteio de brindes para os pacientes e um coffee break para os participantes.

Sobre a doençaHemofilia é uma doença genética hereditária, que se caracteriza por desordem no mecanismo de coagulação do sangue, consequentemente não possui um dos fatores em quantidade suficiente para exercer suas funções, por issoo sangue demora mais a formar o coágulo, não sendo capaz de conter um sangramento. As articulações mais afetadas são os joelhos, cotovelos, tornozelos, ombros e quadril, e os músculos afetados são os do braço e antebraço, coxa e perna.

A hemofilia é dividida em dois tipos o A e B que se diferenciam pelo fator coagulante VIII e IX, respectivamente. Além disso, existe três graus da doença – a leve, moderada ou grave e os sangramentos nas articulações ou nos músculos causam inchaço, dor, rigidez e dificuldade de movimentação no local.

O diagnóstico e o tipo da hemofilia são determinados por meio de exames de sangue específicos, como dosagem de fatores de coagulação. E o tratamento é pela administração do fator deficiente, VII ou IX, associado ao acompanhamento do paciente por equipe multidisciplinar preparada.