João Pessoa
Feed de Notícias

Hemocentro da Paraíba realiza mutirão contra o Aedes Aegypti

quarta-feira, 16 de março de 2016 - 11:45 - Fotos: 

O Hemocentro da Paraíba realizou, nesta quarta-feira (16), mais um Dia de Faxina contra o Aedes aegypti, em João Pessoa. A ação tem o objetivo de envolver todos os funcionários no combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do vírus zika.

A ação faz parte do cronograma adotado pela instituição no final do ano passado, onde estabeleceu as quartas-feiras como o “Dia D”, mobilizando os servidores para garantir a qualidade e a eficiência com a prevenção dos focos do mosquito.

A coordenadora da higienização, Silmara Alves, reuniu os funcionários da higienização e manutenção para estabelecer as prioridades da vistoria, e lembrar a importância que todos têm no processo de conscientização e prevenção ao foco do mosquito. “O cuidado é constante, o trabalho da faxina é quando conseguimos avaliar os resultados, rever as estratégias, e continuar em alerta”, afirma Silmara.

A faxina se deu em todos os setores internos do hemocentro, e suas dependências, onde recolheram copos descartáveis e outros objetos que acumulam água e se transformam em locais adequados para criadouros do mosquito.

A diretora geral do Hemocentro, Sandra Sobreira, ressaltou a importância da colaboração de todas as pessoas contra o mosquito. “Estamos fazendo um trabalho em conjunto para que todos se sintam responsáveis em acabar com o mal, não deixando com que ele apareça. Sabemos que a batalha é grande, mas estamos empenhados e temos a certeza de que a prevenção é o caminho”.

Em dezembro, o Hemocentro realizou uma oficina com os funcionários, com o objetivo de mostrar como identificar o mosquito, e suas doenças consequentes, e ainda as formas de prevenção. E no dia 20 de abril receberá a palestra “Ebola e Zika: o que ainda está por vir”, do professor Dr. Marcelo Moreno, para funcionários e todas as pessoas interessadas.

“Mesmo mantendo as dependências da instituição em cuidado e limpa, o mosquito exige atenção constante. Mostrar que nós estamos nos mobilizando é também uma forma de chamar a atenção da população para o problema, para participarem desta luta, que é de todos”, enfatiza Sandra.