João Pessoa
Feed de Notícias

Hemocentro promove programação especial no Dia do Hemofílico

terça-feira, 17 de abril de 2012 - 11:22 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

Para divulgar ações e serviços disponibilizados aos pacientes o Hemocentro da Paraíba promove nesta terça-feira (17), quando transcorre o Dia do Hemofílico, uma programação especial das 8h30 às 11h. No pátio do órgão, em João Pessoa, estão sendo oferecidos atendimentos e orientações de saúde bucal, palestras sobre seguridade social e os direitos dos pacientes hemofílicos, concurso de desenho e distribuição de brindes.

O concurso é organizado pelo laboratório Octapharma, que fornece os componentes sanguíneos utilizados no tratamento dos pacientes e é ligado à Federação Brasileira de Hemofilia (FBH). Os vencedores do concurso de desenho receberão um IPod, que serão entregues no dia 11 de julho. Os nomes dos seis ganhadores serão divulgados no site www.octapharma.com, no site da FBH (www.hemofiliabrasil.org.br) e também na Associação Francesa de Hemofílicos, no dia 10 de julho.

Um dos participantes do evento foi o assistente social Severino Elias Simões Neto, de 28 anos, que recebeu o diagnóstico de hemofilia tipo B grave quando ainda tinha 11 meses de idade. Ele contou que passou por muitas dificuldades e problemas como sangramento pelo nariz e gengiva, mas conseguiu contornar o problema e se formou na Universidade Federal da Paraíba, além de ser aprovado no concurso do INSS.

“Na faculdade eu tive que trancar algumas cadeiras porque meus joelhos ficavam inchados e eu tinha que receber o fator 9 para normalizar. A gente sofre muito, mas tenta contornar”, comentou Severino Elias Simões Neto.

A diretora geral do Hemocentro da Paraíba, Sandra Sobreira, destacou que a realização do evento é importante para chamar a atenção da população para o cuidado com a doença. “Precisamos destinar um cuidado especial para essas pessoas porque a saúde delas é muito sensível e precisa de acompanhamento em caso de pancadas e lesões”, observou.

A médica hematologista do Hemocentro da Paraíba, Sandra Sibele, explicou que, dependendo da gravidade da hemofilia, o paciente pode ter mais de um sangramento durante o ano. “Os pacientes com hemofilia grave têm, em média, 25 episódios hemorrágicos. Com hemofilia moderada, têm, em média, cinco episódios. E com hemofilia leve, têm um episódio”, explicou.

Números – A Hemorrede da Paraíba atende mais de 250 pacientes hemofílicos, pessoas que precisam periodicamente de componentes específicos de sangue para sobreviver. O Estado oferece atendimento aos pacientes pelo Hemocentro de João Pessoa, Hemocentro Regional de Campina Grande e mais 11 hemonúcleos nas cidades de Guarabira, Itabaiana, Picuí, Monteiro, Patos, Piancó, Princesa Isabel, Itaporanga, Catolé do Rocha, Sousa e Cajazeiras. Nos finais de semana e feriados, o hospital de referência para o atendimento é o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.

A Hemorrede da Paraíba também desenvolve o Programa Dose Domiciliar, do Ministério da Saúde, que oferece treinamento a pais ou responsáveis por crianças hemofílicas. Nesse treinamento, as pessoas apreendem a transportar, armazenar e administrar a dosagem dos fatores sanguíneos aos pacientes em seu domicílio.

Hemofilia – A hemofilia pode ser do tipo A ou B, de síndrome de Von Willebrand, trombastemia ou glasma. Para o tratamento da doença, os componentes de sangue mais requisitados são os fatores 8 e 9. Esses fatores – assim como a albumina e imunoglobulina –, são adquiridos através do processamento do plasma que é retirado do sangue dos doadores juntamente com plaquetas e hemácias.