Fale Conosco

31 de maio de 2011

Grafiteiros fazem leitura da obra de José Lins do Rego nesta quarta-feira



Doze grafiteiros vão expressar sua criatividade em painéis de nove metros dispostos na Praça do Povo da Fundação Espaço Cultural da Paraiba (Funesc), nesta quarta-feira (1º), tendo como tema a obra de José Lins do Rego. Para realizar o trabalho, os artistas se prepararam lendo livros do escritor e pesquisando sobre sua vida.  Sob os olhos da plateia da Semana Cultural José Lins do Rego, a partir das 8h os grafiteiros vão transpor, através das tintas, suas interpretações do universo Zeliniano.

A instalação contará com participação dos grafiteiros Cyber, Perfect, Gigabrow, Museu, Prego, G2, Múmia, Lêgo, Ross, Pato, Znok e Priscila Witch, sob a coordenação de Geraldinho Miranda.

Essa exposição se juntará ao acervo da Funesc e futuramente será parte de uma mostra que a Fundação pretende lançar junto ao movimento Hip-Hop, formada por um labirinto de obras de grafite. Hoje o acervo conta com algumas obras construídas durante o Segundo Encontro Paraibano de Hip-Hop, sediado e apoiado pela Funesc no mês de março.

As obras de arte contemporâneas, fruto da mistura hip-hop literária, formarão a mostra Zé Lins em Grafite, que ficará exposta no Espaço Cultural durante todo o evento. Ainda na Semana Cultural, as bandas Atitude Urbana, Abiarap e Projeto Binário farão improvisos de raps (ritmo e poesia) homenageando o escritor José Lins e usando sua obra como inspiração.

“A  Fundação busca apoiar o hip-hop porque, além de ser uma expressão cultural muito rica, o  movimento exerce um importante papel social, com a reabilitação de jovens à sociedade”, diz a presidente da Funesc, Lu Maia.

Para o coordenador do grupo Hip-Hop, MC Gerard, o que liga Zé Lins e o hip-hop é a valorização da raiz. “O escritor é consagrado pela fiel representação do nordeste no ciclo da cana de açúcar, e o hip-hop, com o orgulho das raízes afro, bebe na fonte de Zé Lins para fortalecer ainda mais o movimento pelo mundo”.