João Pessoa
Feed de Notícias

Governo visita escolas para reforçar ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

sexta-feira, 4 de março de 2016 - 18:23 - Fotos:  Ricardo Puppe

Com o objetivo de reforçar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus – o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), com apoio do Exército Brasileiro, segue com as ações educativas nas escolas de todo o Estado. Na manhã desta sexta-feira (4), foi a vez do Centro Educacional Pequeno Gigante, no bairro Portal do Sol, em João Pessoa, receber a visita dos oficiais do Exército e agentes de saúde.

O objetivo da ação é conscientizar crianças e adolescentes sobre a importância de prevenir a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Nesta escola particular de Educação Infantil e Fundamental, os profissionais do Exército e da Saúde tiveram contato com crianças com até 10 anos de idade. Por meio das palestras e folhetos informativos, elas aprenderam como evitar os focos dos mosquitos e serão multiplicadoras em suas casas.

De acordo com a diretora do Centro Educacional Pequeno Gigante, Djany Fernandes, as crianças já vinham recebendo instruções para evitar a ação do mosquito. “Propusemos a elaboração de trabalhos em sala de aula, com o uso de materiais recicláveis, além de cartazes com desenhos e textos sobre as maneiras de evitar o acúmulo de água. Mostramos pra eles as doenças que o Aedes causa e seus sintomas. O combate ao mosquito começa na educação”, disse ela.

Djany, que já teve dengue seis vezes, comentou que o bairro possui muitos terrenos baldios e áreas propensas ao acúmulo de água parada. “A população precisa se conscientizar e não jogar lixo nas ruas. Observamos muitas garrafas plásticas, copos e baldes cheios de água. Inclusive, faço o alerta para que todos colaborem. A luta contra o mosquito é de todos nós”, pontuou a diretora.

Kauã Lopes tem oito anos de idade e é estudante do 4º ano no Centro Educacional Pequeno Gigante. Mesmo tão pequeno, já sabe como evitar os focos do Aedes aegypti. “O mosquito causa a dengue, chikungunya e zika. Sempre que vejo algum recipiente com água parada, peço pra minha mãe despejar. Já vi larva dentro da água separada para o meu gato e, por isso, cuido para trocar todos os dias”, afirmou.

Atividades educativas nas escolas – Por recomendação do Ministério da Educação, as secretarias estaduais e municipais de saúde devem potencializar as ações educativas nas escolas, desencadeando atividades de enfrentamento que mobilizem alunos e profissionais no combate ao Aedes aegypty. Na Paraíba, foram elencados três municípios prioritários: João Pessoa, Campina Grande e Patos.

Ações – O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), encerrou na segunda-feira (29) o primeiro ciclo de visitas a imóveis na Paraíba para combater o mosquito Aedes aegypti. De acordo com o Relatório de Acompanhamento de Visitas aos Imóveis, desde o dia 4 de janeiro deste ano até agora, 99,25% dos imóveis paraibanos já foram trabalhados, o que corresponde a um total de 1.168.968.

Os ciclos de visitas são planejados, ininterruptamente, de forma que a totalidade dos imóveis seja inspecionada de acordo com o seguinte cronograma:

1º ciclo – Conclusão até 29 de fevereiro.

2º ciclo – Conclusão até 31 de março.

3º ciclo – Conclusão até 30 de abril.

4º ciclo – Conclusão até 30 de junho.

Para intensificar as atividades, o Estado conta com o apoio de profissionais de Exército Brasileiro, Corpo de Bombeiros, Marinha do Brasil, Polícia Militar, além dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias. A equipe é dividida em duplas que visitam casa a casa, conversam com os moradores a respeito das formas de prevenção e ainda fazem vistoria nos quintais, jardins e até terrenos baldios. O objetivo é detectar e exterminar criadouros e focos do mosquito.

O trabalho com o Exército vem sendo realizado nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Santa Rita e Bayeux. Com o Corpo de Bombeiros, a atividade está acontecendo nos municípios de Alhandra, Conde, Malta e Monteiro. Nos demais municípios, as visitas são realizadas pelos Agentes de Controle de Endemias (ACE). A atuação das equipes do Exército e Bombeiros ocorre em dias úteis, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30.

Aedes na Mira: O aplicativo “Aedes na Mira” foi lançado com o objetivo de agilizar o combate ao mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika, chikungunya). O aplicativo foi desenvolvido para celulares das plataformas android e IOS. Por meio desse aplicativo, as demandas são enviadas, de forma imediata, para a Sala de Situação Estadual, localizada na sede da SES, na capital, de onde são encaminhadas para as Secretarias de Saúde dos municípios para as providências.

Além do aplicativo, as denúncias podem ser feitas a Central Telefônica (083 3218-7455 ou 0800 083 1341) e via WhatsApp (083 98822-8080). Para facilitar o processo, as pessoas podem encaminhar fotos para que a equipe da SES analise a demanda e as providências sejam tomadas.