Fale Conosco

25 de julho de 2013

Governo vai implantar mais quatro residências inclusivas na Paraíba



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), vai implantar, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), mais quatro residências inclusivas na Paraíba. As unidades serão executadas pelas prefeituras dos municípios de Bayeux, Cajazeiras, Guarabira e Sousa.

A iniciativa faz parte do Plano Viver Sem Limite do Governo Federal, que vai repassar 50% dos recursos ainda este ano. Hoje, a Paraíba conta com uma Residência Inclusiva localizada em João Pessoa e outra que será inaugurada em Santa Rita.

No Diário Oficial desta quinta-feira (25), o Conselho Estadual de Assistência Social publicou resolução relativa a uma reunião realizada no último dia 15, com representantes da Sedh, onde foi aprovado o termo de aceito do Estado para o cofinanciamento deste serviço nos quatros municípios. Com isso, as cidades beneficiadas devem procurar informações e considerar as normas de acessibilidade e da política de assistência social.

A coordenadora estadual da política da pessoa com deficiência da Sedh, Gabrielle Vasconcelos, destacou que este passo é mais um avanço do Estado na implementação da Política da Pessoa com Deficiência.

A residência inclusiva é importante porque é destinada às pessoas com deficiência sem vínculos familiares e não existe nenhuma instituição de acolhimento específica para este público. Estas pessoas, atualmente, são acolhidas nas Instituições de Longa Permanência para Idosos [Ilpis]”, explicou.

Central de Interpretação de Libras – Também serão implantadas na Paraíba duas Centrais de Libra em uma parceria do Governo do Estado e o Governo Federal, sendo uma em João Pessoa, com sede na Funad, e outra em Campina Grande, em local a ser definido.

BPC na Escola – Outra ação direcionada às pessoas com deficiência é referente ao programa Benefício de Prestação Continuada (BPC na Escola), que tem como objetivo incentivar a inserção ou permanência na escola das crianças e adolescentes com deficiência.

Na Paraíba, ainda segundo Gabrielle, 99% dos municípios já realizaram a adesão/renovação ao Programa. “Estamos agora na fase de aplicação dos questionários para realizar o levantamento dos motivos que impedem o acesso destas crianças a escola. Várias situações impedem que crianças e adolescentes com deficiência frequentem a escola como acessibilidade, falta de capacitação dos professores e a atitude dos familiares, que muitas vezes, não querem que estas pessoas tenham acesso a informação”, destacou.