Fale Conosco

30 de julho de 2013

Governo trabalha para melhorar índices do IDHM com ações na saúde, educação e renda



Os dados da pesquisa do “Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013”, divulgados nessa segunda-feira (29) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) sobre os Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), revelam que a Paraíba ocupa a 23º posição no ranking, com indicador de 0,658, considerado de nível médio. Na última pesquisa, divulgada em 2003, o Estado obteve índice de 0,382, o que revela um aumento de mais de 70% nos últimos anos.

Para elevar a posição atual da Paraíba, o Governo do Estado tem adotado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), ações que visam garantir programas de renda atreladosà segurança alimentar e nutricional.

A secretária de Estado de Desenvolvimento Humano, Aparecida Ramos de Meneses, destacou que os dados são positivos, mas precisam ser melhorados. “Estamos trabalhando para a construção de uma Paraíba melhor, com programas de renda que garantem o desenvolvimento da população, baseado em políticas públicas. Estas melhorias que estamos implantando agora só serão sentidas a alguns anos”, frisou.

Ela ressaltou ainda que para se calcular o IDHM são considerados três indicadores: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda).

Avanços na Paraíba – Nos últimos dois anos, além do incentivo na área da educação com a construção de escolas e o ensino integral pelo Governo do Estado, a segurança alimentar compõem uma das iniciativas que contribuem para assegurar uma vida melhor à população.

Dessa forma, foram entregues à população dois restaurantes populares: um em João Pessoa, no bairro de Mangabeira e outro em Campina Grande, no Centro da Cidade. Ao todo, são mantidos pelo Governo do Estado quatro equipamentos que ofertam, de segunda a sexta-feira, 3,5 mil refeições diárias, no valor de R$ 1,00.

Também na área de segurança alimentar, a Paraíba, junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), ampliou o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). O programa existia em 14 municípios e está sendo implantado em 127 cidades, alcançando 2.199 agricultores familiares e 1.816 entidades que prestam assistência social a pessoas em estado de carência alimentar. Nesse programa, toda a produção comprada do pequeno agricultor é doada para pessoas em insegurança alimentar.

O programa de cisternas, que leva água para o semiárido, é outra ação em parceria com o Governo Federal que garantirá, em 35 municípios atingidos pela seca, a construção de cerca de 15 mil cisternas. Dessas, cinco mil foram entregues à população até este mês de julho.

Emprego e renda – O Abono Natalino também foi implantado pelo Governo do Estado como uma forma de garantir ao usuário do Bolsa Família uma renda a mais para auxiliar a população, em um investimento de mais de R$ 16 milhões, com cerca de 500 mil pessoas beneficiadas.

Na área de emprego e renda, o Projovem Urbano-Juventude Cidadã oferta cursos profissionalizantes em nove áreas. Na Paraíba, estão sendo beneficiadas cerca de 7 mil pessoas entre 18 e 29 anos de idade, em mais de 80 municípios paraibanos. A nova etapa do programa acontecerá ainda neste segundo semestre.

A Sedh, por meio do Sine -PB, também ampliou a quantidade de empresas cadastradas, possuindo hoje mais de 2.500 na base cadastral. Além dessa ampliação, foram inaugurados, no exercício de 2012, dois novos postos do Sine, sendo um em Pombal e outro no Conde. As cidades de Guarabira e João Pessoa ganharam novas sedes, totalmente equipadas para melhor atender a população.

Pacto social – O Pacto pelo Desenvolvimento Social da Paraíba – Contrapartida Solidária 2013 contempla a área da saúde. Para essa versão, o Governo do Estado está destinando um investimento na ordem de R$ 100 milhões.

CSUs – Outras ações como melhorias nos Centros Sociais Urbanos (CSUs) atendem a população com cursos profissionalizantes, esporte para crianças e adolescentes e grupos de idosos. Foram realizadas reformas e recuperação dos prédios em um investimento de mais de R$ 2 milhões em parte dos 16 CSUs distribuídos no Estado, que atendem juntos a mais de 35 mil pessoas.

Também foi totalmente recuperado o Centro de Convivência da Pessoa Idosa (CCI), localizado em João Pessoa, que atende a mais de 70 idosos.

Ainda na área da pessoa idosa, tem o Programa Cidade Madura, um projeto pioneiro no Brasil, que será construído em João Pessoa e Campina Grande. O projeto é um condomínio inteiramente projetado com as necessidades específicas voltados para a terceira idade. O idoso pagará um aluguel social simbólico no modelo de locação social.