João Pessoa
Feed de Notícias

Governo se une ao município do Conde nas ações de combate à dengue

sábado, 6 de abril de 2013 - 15:49 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom-PB

Preocupado com os índices de infestação do Aedes Aegypti, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participou neste sábado (6) de mais uma ação de combate à dengue. O evento “Dia D de Combate à Dengue” fez parte da parceria com a Prefeitura Municipal do Conde e aconteceu na Praça Central da cidade, das 8h às 12h.

Estavam presentes o secretário de Saúde do município, José Francimar Veloso, a prefeita do Conde, Tatiana Correa, a gerente da 1ª Regional de Saúde, Jassiara Morais, a gerente Operacional de Vigilância Ambiental da SES, Djanira Lucena, agentes de saúde, além da população local. Durante o evento, houve a distribuição de panfletos, estandes foram montados para chamar atenção com materiais lúdicos, cartazes e folders com os cuidados observados em casa, além da mobilização dos agentes comunitários nos sinais de trânsito adesivando carros e orientando a população sobre a doença.

A SES, por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, está apoiando a Prefeitura Municipal do Conde na execução do Plano de Ação de Combate à Dengue. As ações estão sendo realizadas desde o dia 3 de Abril. O Plano de Ação de Combate à Dengue tem como objetivo geral reduzir a incidência da doença do tipo clássica e prevenir a morbimortalidade, evitando assim a ocorrência de óbitos.

Durante os quatro dias de ações foram realizadas palestras e mobilização social nas Unidades da Saúde da Família (USF) de Jacumâ, Carapibus, Conde, Mituaçu, Mata de Chica, Gurugi, além de palestras em escolas municipais e estaduais e visita às residências por agentes de saúde.

De acordo com a gerente operacional de Vigilância Ambiental da SES, Djanira Lucena, é necessário que a população esteja envolvida nas ações juntamente com as Secretarias Municipais de Saúde no processo de controle da doença. “É fundamental a coparticipação entre professores, alunos, gestores, profissionais de saúde, agentes de saúde e de endemias, religiosos e representantes da sociedade civil organizada, para juntos prevenirmos e combatermos a doença”, disse Djanira.

Para o secretário de Saúde do Conde, Francimar Veloso, por se tratar de uma cidade que tem um grande número de turistas, especialmente de veranistas, que costumeiramente neste período deixam as casas fechadas, é de extrema importância que não apenas o município e o Estado façam a sua parte, mas que a população também cuide do seu lar e do território, para evitar, assim, que o mosquito se prolifere. O secretário destacou ainda as ações que vêm sendo realizadas no município. “Combater a dengue é uma responsabilidade de todos, por isso, desde o dia 3, estamos fazendo o chamamento da população adesivando carros, orientando as crianças nas escolas, convocando todas as secretarias para juntos mobilizarmos a população, distribuindo materiais educativos, entre outras ações”, destacou.

Já a prefeita da cidade, Tatiana Correa, ressaltou o apoio fundamental que o Governo tem dado e disse que o município redobrou a coleta de lixo na cidade, mas, segundo observou, para que as ações funcionem é necessário que a população contribua, evitando água parada em casa ou nos quintais. “Minha filha já teve dengue e eu como mãe posso dizer como é preocupante a doença, por isso peço a colaboração de todos na cidade”, afirmou.

Números da doença no Conde - De 2012 a cidade tem três óbitos em investigação. Apesar de poucos casos notificados em 2013, já apresenta um óbito em investigação neste ano. O Estado já disponibilizou qualificação para os médicos e enfermeiros da cidade, para eles multiplicarem no município o manejo clínico e assim melhorar a oportunidade da assistência aos pacientes que apresentarem sintomas da doença.

Dica - Apresentando sinais de alerta como dor abdominal, diminuição do volume urinário, fraqueza, pressão arterial baixa e manchas pelo corpo, o paciente não deve se automedicar, deve procurar imediatamente um Posto de Saúde da Família (PSF).

A dengue é uma doença dinâmica que pode evoluir rapidamente de uma forma para outra. Assim, em um quadro de dengue clássica, em dois ou três dias podem surgir sangramentos e sinais de alerta sugestivos de maior gravidade. Daí surge à necessidade da notificação dos casos graves em até 24 horas, de acordo com a Portaria 104 do MS. A sinalização destas situações deve ser feita no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), pelo telefone (83) 8828-2522 (plantão 24 horas).