Fale Conosco

20 de novembro de 2011

Governo reunirá produtores para discutir e incrementar a produção de goiaba



A Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) promoverá ações para estimular e incrementar a cultura da goiaba na região do Curimataú paraibano. Para discutir isso, realizará, por intermédio da Emater, o 1º Encontro da Cultura da Goiaba da Variedade Paluma, na quinta-feira (24), no município de Nova Floresta. O evento começa às 7h com uma visita ao campo de produção do Sítio Estrondo.

Depois serão realizadas palestras sobre a cultura da goiaba na sede da Câmara de Vereadores do Município. Os trabalhos serão iniciados às 9h, com uma exposição do professor Lourival Ferreira Cavalcante, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sobre o processo de adubação. Em seguida, o agrônomo e extensionista rural da Emater-PB Rui Medeiros falará sobre o processo de poda. Na sequência, o professor Jacinto de Luna Batista, também da UFPB, fará uma explanação sobre o manejo integrado de pragas na cultura da goiaba.

A responsabilidade pela organização do evento é do escritório da Ematerem Nova Floresta, que conta com o apoio da Prefeitura Municipal e de outros parceiros da região, segundo informou o coordenador regional da Emater em Picuí, Fernando Guedes.

Atividade rentável – A produção de goiaba apresenta inúmeras vantagens econômicas e sociais, dentre elas a elevação do nível de emprego, a fixação do homem ao campo, a melhor distribuição da renda regional e a geração de produtos de alto valor comercial. Podendo ser consumida in natura ou industrializada, a goiaba vem sendo utilizada também no fabrico de um produto que começa a ser inserido no mercado consumidor: o guatchup – catchup de goiaba que, segundo os técnicos da Emater, apresenta alto valor nutricional e é menos calórico em relação ao concorrente produzido a partir do tomate.

O consumo interno da fruta in natura ainda é pequeno, mas, em contrapartida, a goiabada (doce da goiaba) se destaca como um dos doces mais apreciados pelos brasileiros, fato que se reverte em lucro financeiro para os produtores.

Para estimular a produção na região do Curimataú, a Emater oferece assistência técnica e destaca a produção irrigada como uma das alternativas mais viáveis. Além disso, recomenda a poda programada como forma de garantir colheita durante todo o ano, permitindo ao produtor a comercialização dos frutos no período de entressafra.

“Efetuando-se o devido controle de pragas e doenças, a cultura da goiaba possibilita uma boa produtividade”, afirmam os técnicos da Emater. Eles acrescentam que as goiabeiras sofrem danos em regiões sujeitas as geadas e ventos fortes, o que não ocorre na região de Nova Floresta, que tem clima ideal para seu cultivo.