João Pessoa
Feed de Notícias

Governo realiza treinamento para teste rápido de Leishmaniose em Patos

quinta-feira, 30 de novembro de 2017 - 09:16 - Fotos: 

Coordenadores e técnicos de vigilância ambiental dos municípios da 3ª Macrorregional de Patos (Patos, Princesa Isabel e Piancó) participaram, nessa quarta-feira (29), no auditório da 6ª Gerência de educação, do treinamento em Teste Rápido para Diagnóstico da Leishmaniose Visceral Canina (LVC). A capacitação é oferecida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde.

A oficina é fruto da preocupação da Secretaria de Estado da Saúde com os casos de Leishmaniose (calazar) tanto nos cães quanto nos humanos. Foi atribuído ao Núcleo de controle de Zoonoses a atividade, a fim de fazer chegar ao conhecimento dos municípios que ainda não realizam o teste rápido.

“O objetivo é treinar o pessoal para que faça o controle do reservatório da doença, que é o cão doméstico, onde o mosquito pica o animal doente e em seguida o homem, transmitindo o vetorial. Os animais serão analisados e os que derem positivo para calazar precisam ser sacrificados. Em seguida, haverá o controle químico por meio de borrifação, tendo ou não a presença do mosquito flebótomo, conhecido como mosquito palha, infectado”, explica Assis Azevedo, no Núcleo de controle de Zoonoses da SES.

Assis comenta que o número de casos de calazar vem crescendo, não apenas em municípios paraibanos, mas de todo o País, inclusive em áreas que nunca tinham tido registro, a exemplo do Paraná, Santa Catarina. Diz que o clima tropical, a vegetação tem sido fatores para o surgimento da Leishmaniose. “Quero dizer com isso que aqueles estados que sempre tiveram, são áreas endêmicas, os números continuam crescendo, e isso não é critério só da Paraíba, e a gente percebe estados em que nunca tiveram a doença, do ano passado para cá passaram a ter esses registros”, acrescentou.

Hanseníase – Outro evento promovido pela Secretaria de Estado da Saúde mobilizou profissionais da 3ª Macrorregião.  Médicos, enfermeiros e coordenadores de epidemiologia que atuam na atenção primária participaram de uma capacitação em Hanseníase, tendo como facilitadora a técnica do Núcleo de Doenças Endêmicas da SES, Geisa Campos.

Ela fez abordagem sobre diagnóstico e tratamento de Hanseníase, tratamento que é garantido a todos os pacientes, via SUS. Busca ativa, prevenção, exames, acompanhamento do paciente em relação à administração da medicação, afim que se possa conseguir o resultado esperado, a cura da doença, uma das mais antigas da história da humanidade.