Fale Conosco

8 de maio de 2012

Governo realiza oficina de atualização das ações de controle das Infecções em Serviços de Saúde



O Governo do Estado abre nesta quinta-feira (10) a programação alusiva ao Dia Nacional de Controle da Infecção Hospitalar, comemorado em 15 de maio. Será realizada uma oficina para atualização das ações e métodos de controle das infecções em serviços de saúde, a partir das 8h, no Hotel Xênius, na Praia de Cabo Branco.  O evento é destinado aos profissionais das Comissões de Controle da Infecção Hospitalar (CCIH) dos hospitais de gestão estadual de todo o Estado.

A Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Júlia Vaz, explicou que nesta oficina, além de discussão de legislação pertinente ao assunto, também será abordado o processo de trabalho das CCIH e da Central de Esterilização de Material.

Ela disse que a instalação de uma Comissão de Controle da Infecção Hospitalar numa unidade saúde é de grande importância para o monitoramento dos indicadores da infecção no ambiente de saúde, avaliação dos tipos de bactérias causadoras da infecção e da real  situação no que diz respeito à prevenção e combate da infecção hospitalar.

Outras atividades – A programação alusiva à data tem continuidade no dia 14 deste mês, às 9h, quando haverá a solenidade de abertura da Semana para Controle de Infecção Hospitalar, com a participação de todas as CCHI no auditório do Conselho Regional de Medicina.

No dia 15, Dia Nacional de Controle da Infecção Hospitalar, será realizado um trabalho de sensibilização de profissionais e familiares de pacientes no Hospital de Emergência e Trauma e no Instituto Cândida Vargas. Essa ação será feita com a distribuição de material educativo, saches de sabão liquido e orientação da forma adequada de lavagem das mãos.

Riscos – A Organização Mundial da Saúde estima que entre 5% e 10% dos pacientes internados em hospitais nos países desenvolvidos desenvolverão uma infecção hospitalar. Nos países em desenvolvimento, o risco de adquirir essa infecção é pelo menos duas vezes maior.

Júlia Vaz explica que a aquisição de uma infecção no ambiente hospitalar expõe pacientes ao risco de morte ou sequelas. “Grandes cirurgias, internações em UTI e uso de medicações imunossupressoras – intervenções muitas vezes essenciais para salvar vidas – são os procedimentos mais frequentemente associados à incidência de infecções”.

A Comissão de Infecção Hospitalar do Estado da Paraíba tem por finalidade atuar desenvolvendo um conjunto de ações deliberadas e sistemáticas, com vistas à redução máxima possível da incidência e da gravidade das infecções hospitalares e, assim, melhorar a qualidade da assistência prestada. Este trabalho é feito junto às comissões hospitalares, dando suporte técnico científico e operacional indispensáveis à eficiência das comissões.