Fale Conosco

17 de setembro de 2012

Governo realiza mais uma capacitação para implantação do teste rápido para HIV e Sífilis



O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, realiza durante toda esta semana, mais uma capacitação para implantação do teste rápido para HIV e Sífilis na Atenção Básica. O evento, que começa nesta terça-feira (18) e vai se estender até o dia 21, no Hospital Regional de Princesa Isabel, vai reunir profissionais de saúde do Programa de Saúde da Família (PSF) dos municípios de Manaíra, São José de Princesa, Juru, Água Branca, Imaculada e Tavares.  Essas capacitações já foram realizadas nas regionais de Saúde de Piancó, Cajazeiras e Cuité e vão acontecer em todo o Estado.

A gerente operacional das DST\AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ivoneide Lucena Pereira, afirmou que o teste rápido para HIV e sífilis na Atenção Básica já foi implantado em cerca de cem municípios paraibanos, seguindo as orientações do programa Rede Cegonha e cumprindo o decreto 7.508 que regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990,  e dispõe sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa.

Ela explicou ainda que, durante essa capacitação, será implantado no Hospital de Regional de Princesa Isabel, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) para HIV e Hepatite B e C, e os Centros de Referência para Acidente Ocupacional e para Mulheres Vítimas de Violência Sexual. No caso do Centro de Referência para Acidente Ocupacional, Ivoneide Lucena afirmou que se por acaso o profissional se ferir com um instrumento de trabalho, a pessoa que usou esse instrumento será submetida a exames para detectar algum tipo de doença.

Ivoneide Lucena explicou que se o teste rápido para HIV foi realizado a partir do pré-natal a chance é de 90% de a criança nascer sem o vírus da AIDS. Já no sétimo mês gravidez, se for detectado o HIV na mãe, o parto terá que ser cesariano, ela não poderá amamentar, passará a tomar o antirretroviral para o resto da vida enquanto que o bebê  vai fazer  uso da medicação até os dois anos, uma vez que até essa idade ele ainda está com as células da mãe.

Sobre os CTAs – De acordo com o Departamento Nacional das DST\Aids  e Hepatites Virais, os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) são serviços de saúde que realizam ações de diagnóstico e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Nesses serviços, é possível realizar testes para HIV, sífilis e hepatites B e C gratuitamente. Todos os testes são realizados de acordo com a norma definida pelo Ministério da Saúde e com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por ela controlados.

O atendimento nesses centros é inteiramente sigiloso e oferece a quem realiza o teste a possibilidade de ser acompanhado por uma equipe de profissionais de saúde que a orientará sobre resultado final do exame, independente dele ser positivo ou negativo. Quando os resultados são positivos, os CTAs são responsáveis por encaminhar as pessoas para tratamento nos serviços de referência.

Ao procurar um CTA, o usuário desse serviço tem direito a passar por uma sessão de aconselhamento, que pode ser individual ou coletivo, a depender do serviço. O aconselhamento é uma ação de prevenção que tem como objetivos oferecer apoio emocional ao usuário, esclarecer suas informações e dúvidas sobre DST e HIV/AIDS e, principalmente, ajudá-lo a avaliar os riscos que corre e as melhores maneiras que dispõe para prevenir-se.