João Pessoa
Feed de Notícias

Governo realiza III Seminário Estadualdo Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio  

terça-feira, 30 de dezembro de 2014 - 16:41 - Fotos:  Sérgio Cavalcanti

Mais de 300 orientadores de estudo, formadores regionais, professores e coordenadores pedagógicos do ensino médio participaram do III Seminário Estadual da segunda etapa do Pacto Nacional Pelo Fortalecimento do Ensino Médio. O evento realizado na segunda-feira (29), em João Pessoa, foi promovido pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), abordando o tema: “Pacto Nacional Pelo Fortalecimento do Ensino Médio: avaliando resultados, mapeando perspectivas”.

Os orientadores de estudo replicarão as informações da capacitação para os 4.500 professores de ensino médio da rede estadual baseados nas orientações que receberam sobre a Organização do trabalho pedagógico no Ensino Médio, as Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática, com a concepção da interdisciplinaridade, os professores partem para a terceira fase para discutir os componentes curriculares conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio.

O Pacto – O Pacto Nacional Pelo Fortalecimento do Ensino Médio é a articulação entre os governos Federal e Estadual na formulação e implantação de políticas para elevar o padrão de qualidade do Ensino Médio brasileiro, orientado pela perspectiva de inclusão de todos que a ele tem direito. Duas ações estratégicas estão articuladas: o redesenho curricular, em desenvolvimento nas escolas por meio do Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI), e a Formação Continuada de professores do Ensino Médio.

De acordo com a gerente de Ensino Médio e Educação Profissional do Estado, Ana Célia Lisboa, o desenho da formação continuada expressa as discussões realizadas nas diversas instituições de ensino, secretarias, conselhos, fóruns e movimentos sociais e o amadurecimento do país com vistas ao compromisso com uma Educação Básica plena, formada pela universalização do atendimento dos 15 aos 17 anos e a adequação idade ano escolar além da ampliação da jornada para o Ensino Médio Integral.

Além disso, segundo Ana, o documento fará o redesenho curricular nacional, a garantia da formação dos professores e demais profissionais da escola, o suprimento da carência de professores em disciplinas (matemática, física, química e inglês) e regiões específicas, a ampliação e estímulo do Ensino Médio diurno, a ampliação e adequação da rede física escolar, da oferta de educação profissional integrada e a universalização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).