Fale Conosco

19 de julho de 2012

Governo apóia I Seminário Estadual de Educação no Campo



A Secretaria de Estado da Educação em parceria com o Comitê Estadual de Educação do Campo promove nesta quinta-feira (19) e sexta-feira (20) o I Seminário Estadual de Educação no Campo. O evento, que está ocorrendo na sede da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag), no Bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, conta com a participação de representantes de vários segmentos. A abertura contou com a presença do secretário de Estado da Educação, Harrison Targino, que proferiu a palestra “Os Desafios da Educação do Campo na Paraíba”.

O evento objetiva discutir a Educação no Campo como resultado de uma conquista dos movimentos e organizações sociais na trajetória de luta pela inclusão de milhares de camponeses excluídos do direito à cidadania. O seminário discute também as políticas de educação no campo empreendidas pelo Governo Federal, para o período 2012/2014, que já estão sendo implementadas.

O secretário Harrison Targino destacou a importância dos movimentos sociais por terem tido a capacidade de modificar pautas políticas. Ele falou que foram dados alguns passos no País, no sentido de mudar a realidade da educação do campo, mas reconheceu os desafios que ainda existem para serem superados.

“Temos quatro linhas que devem nortear nossa gestão: é preciso melhorar as práticas pedagógicas, tirar a ideia da escolinha do campo que não é trabalhada da forma respeitosa como deve ser, realizar formação de professores, implementar a educação de jovens e adultos com a garantia da educação profissional e tecnológica, garantindo a continuidade dos estudos por meio das 20 escolas técnicas que começam a ser implantadas na Paraíba com a primeira escola técnica estadual de saúde, inaugurada na semana passada no município de Sapé”, destacou o secretário Harrison. O quarto eixo norteador, segundo ele, é a melhoria da infraestrutura das 805 escolas estaduais, com a expectativa de reformar 75% delas nos próximos dois anos.

O secretário executivo de Estado da Agricultura Familiar, Alexandre Eduardo, reconheceu que são muitos os desafios das pessoas do campo que passaram muito tempo sem fazer parte do grupo que detinham o conhecimento. “A história campesina foi muitas vezes negada nesse País e por muitas vezes tentou-se abafar a importância sócio, econômica, cultural e ambiental dos moradores do campo e, por vezes, tentou-se negar essa importância para o desenvolvimento, mas ao adentrar o século XXI foi conquistada uma vitória especial pela luta organizada dos movimentos sociais do campo”, ressaltou.

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura da Paraíba (Fetag) Liberalino Ferreira, deu as boas vindas aos participantes e falou da honra que é para a entidade ser parceira do Comitê Estadual de Educação do Campo para realização do evento. Segundo ele, sem educação no campo não se chega a lugar nenhum.

O presidente do Comitê do Campo na Paraíba, Antonio Cleide, falou da importância dos municípios reverem a questão das escolas do campo receberem as sobras da escola das cidades e lembrou que nos últimos anos o Comitê tem assumido essa luta por uma educação gratuita e de qualidade.

Programação – Pela manhã, a professora Maria do Socorro Silva, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), ministrou palestra sobre “Educação no Campo: histórico e perspectivas”. À tarde, houve uma mesa redonda sobre “Políticas de Educação do Campo e Formação de Educadores”, com representantes do Ministério da Educação e da Universidade Federal da Paraíba.

Nesta sexta-feira (20), o evento prossegue a partir das 8h, com uma mística e uma roda de conversa do comitê de secretários municipais de educação e gerentes regionais de educação. A partir das 9h30, haverá uma palestra sobre os desafios da Educação no Campo aos gestores da educação, pelo professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Antonio Monarim. Na sequência, haverá o debate sobre o tema e o encerramento dos trabalhos.

O Comitê Estadual de Educação do Campo Paraíba é composto por 26 entidades que se fizeram presentes ao seminário, tais como; secretarias de Estado da Educação, Executiva da Agricultura Familiar, Fetag, Comissão Pastoral da Terra, MST, União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Paraíba (Sintep), Organização dos Professores Indígenas, Quilombolas, Comunidades Negras, UFPB, UFCG e UEPB.