Fale Conosco

2 de outubro de 2015

Governo realiza curso de Formação de Gestores Públicos em Economia Solidária



Foi iniciado, nessa quinta-feira (1º), o II Módulo do Curso de Formação de Gestores Públicos em Economia Solidária. A capacitação é promovida pelo Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e da Secretaria Executiva de Segurança Alimentar e Economia Solidária (Sesaes), com apoio da Incubadora de Empreendimentos Econômicos e Solidários (Incubes).

O treinamento trouxe como tema Políticas Públicas de Economia solidária no Brasil e o diálogo institucional que ela faz com outras políticas. O eixo principal, neste módulo, é discutir objetivos específicos como promover a economia solidária no âmbito estadual e nas diferentes regiões da Paraíba, atuar junto aos gestores públicos, incentivando as práticas na economia solidária. Com carga horária de 16 horas-aulas, o curso segue até esta sexta-feira (2). Vinte representantes de diversas áreas dos municípios paraibanos participam do evento.

O terceiro e último modulo vai ser ministrado pelo professor Vanderson Carneiro, nos dias (21, 22/10), quando vai ser discutida a construção de um plano de Economia solidária para os municípios/órgãos públicos.

O termo é recente, mas enquanto prática social reporta-se às formas mais antigas na experiência histórica dos trabalhadores. Essa proposta da economia solidária se fortaleceu na década de 1990, considerada como uma prática regida pelos valores de autogestão, democracia, cooperação, solidariedade, respeito à natureza, promoção da dignidade e valorização do trabalho humano, tendo em vista um projeto de desenvolvimento sustentável global e coletivo.

Conforme Mauricio Sardá, professor do curso de Gestão Pública da Universidade Federal da Paraíba, a economia solidária tem uma perspectiva de organização, enquanto trabalho diferenciado, e sim um trabalho coletivo, e que aborda, temas sensíveis para o tipo de trabalho que não é o trabalho formal. Sobretudo, mostrar aos gestores públicos como é possível desenvolverem ações e políticas no campo da economia solidária, mesmo sendo em áreas diversas, como saúde mental, assistência social, pessoas que trabalham com desenvolvimento regional territorial e outros.

De acordo com a secretária executiva Ana Paula Almeida, a continuidade das atividades do Projeto de Ações Integradas consolida uma importante rede de articulação entre Gestores dos Três entes federativos. “A diversidade na participação de órgão estratégicos das três esferas de poder potencializam o diálogo e possibilidades de ações colegiadas em economia solidária”.

Telma Flaviana Rodrigues 29 anos, mestranda no programa de pós-graduação em Ciências Sociais na UFCG, comentou que na busca por um modelo de trabalho diferenciado mais justo e igualitário, encontrou a Economia solidária, movimento que vem ganhando muita força nos últimos tempos. “Pensar políticas públicas é fomentar novas iniciativas como também apoiar as iniciativas existentes proporcionando aos trabalhadores uma forma diferenciada”.

“Participar desse curso é muito rico tanto pela obtenção das informações que não tinha e ouvir questões que abrangem uma temática tão abrangente sobre a economia solidária. O curso me dá uma possibilidade de perceber a economia solidária de uma forma mais prática na construção de políticas públicas”, destacou ela.