João Pessoa
Feed de Notícias

Governo realiza ações preventivas no Dia Nacional de Combate à Hipertensão

terça-feira, 26 de abril de 2016 - 15:32 - Fotos:  Ricardo Puppe

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, realizou nesta terça-feira (26), várias atividades alusivas ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. O evento aconteceu das 9h às 12h, no Shopping Tambiá, no Centro de João Pessoa.

No local, foram oferecidosserviços gratuitos de verificação e orientações sobre hipertensão arterial; necessidade da prática regular de atividade física; redução do consumo do sódio na alimentação; além da prevenção e tratamento do tabagismo.

“O objetivo da ação é sensibilizar a população para a importância da prevenção e controle da doença, alertando sobre seus riscos e estimulando a prática de hábitos saudáveis”, explicou a gerente do Núcleo de Doenças e Agravos não Transmissíveis, Gerlane Carvalho.

Ainda segundo Gerlane, a população, conhece a hipertensão e seus malefícios, mas a data pontual vem para tirar dúvidas. “Esclarecemos aos já diagnosticados hipertensos sobre a melhor maneira de controlar a doença – com medicação permanente, diminuição de sódio e gordura na comida, hábitos e estilo de vida saudáveis. Para quem não é hipertenso, a nossa missão é explicar como prevenir e ter uma melhor qualidade de vida. Se você é totalmente sedentário, por exemplo, e passa a se exercitar três vezes por semana, já ajuda muito a prevenir ou controlar a pressão alta. Ter uma alimentação balanceada – com ingestão de frutas, verduras, legumes –  evitar o consumo de álcool e não fumar também são atitudes que melhoram, e muito, a situação”, concluiu.

As atividades tiveram parceria, também, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-PB), Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa-PB), Liga Acadêmica de Cardiologia da Paraíba e Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Liga Acadêmica de Emergência Clínica da Paraíba; Liga de Cardiologia Pessoense (Licp); Fundação de Seguridade Social (Geap) e Shopping Tambiá.

“O alerta maior para a população é sobre os riscos que a hipertensão arterial causa. Na grande maioria das vezes, a doença é assintomática e só com um pico hipertensivo muito elevado é que o paciente se dá conta que tem pressão alta. É preciso se cuidar e aferir sempre a pressão. Vale lembrar que a hipertensão é o principal fator de risco para as doenças cardiovasculares, como o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o infarto. Combatendo a hipertensão, consequentemente diminuiremos esse índice altíssimo de mortalidade”, declarou a médica, diretora de Promoção à Saúde da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC-PB), Fátima Negri.

Eraldo Sérgio tem 49 anos e há quatro foi diagnosticado hipertenso. Começou tratando a doença com remédios e reeducando a alimentação e depois descuidou. “Como não sentia mais nada, parei o tratamento. No ano passado, tive um princípio de infarto e de lá para cá não descuidei. Precisei colocar até uma ponte de safena! Atualmente, faço caminhada meia hora todos os dias, jogo bola aos domingos, minha alimentação é balanceada e ainda preciso usar medicamentos para controlar a pressão alta. Hoje em dia está tudo bem, mas sigo fazendo exames rotineiramente para que não tenha mais nenhuma complicação”, disse.

Hipertensão – O cardiologista da SES, Fábio Almeida, lembrou que a hipertensão é uma doença silenciosa que traz muitos problemas. “Ela está ligada intimamente às doenças cardiovasculares: AVCs, infartos, por exemplo. Se o indivíduo não controla a hipertensão, os vasos sanguíneos vão sendo cada vez mais danificados, desencadeando problemas maiores”, alertou.

Ele orientou que as pessoas com mais de 30 anos devem procurar regularmente o médico para fazer um check-up. “Avaliar a pressão, a glicose, o colesterol é imprescindível para prevenir a doença ou, ainda, controlá-la desde cedo. Fica o alerta, também, para as crianças, pois temos percebido com cada vez mais frequência a obesidade infantil – que provoca a hipertensão precoce e, consequentemente, a diabetes e maior índice de problemas cardiovasculares”, alertou.

O médico falou ainda que as doenças cardiovasculares são as que mais causam mortes no mundo. “Aproximadamente 34% das mortes em todo mundo ocorrem em decorrência de doenças cardiovasculares – infarto e AVC. No Brasil, em 2015, 346 mil pessoas morreram por doenças cardiovasculares – uma pessoa morre a cada quarenta segundos por doenças do coração, no país. Fica o alerta também para os jovens que usam energéticos nas academias de ginástica e em relação aos idosos há um enrijecimento natural das artérias (o que exige cuidado redobrado). Indicamos hábitos alimentares saudáveis; diminuição na ingestão de sal; prática de atividades físicas; baixa ingestão de bebidas alcoólicas e parar de fumar”, reforçou.