João Pessoa
Feed de Notícias

Governo realiza ações de saúde para lembrar Dia Mundial sem Tabaco

quarta-feira, 31 de maio de 2017 - 16:28 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom Pb

O Dia Mundial sem Tabaco foi lembrado nesta quarta-feira (31) pela manhã com vários serviços de saúde, promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde (Ses), por meio do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (Ndants), em parceria com vários órgãos. As atividades foram realizadas na Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), no bairro do Varadouro, em João Pessoa, com o objetivo de sensibilizar a população para a importância da prevenção e tratamento do tabagismo, alertando sobre riscos e a importância de ambientes 100% livres da fumaça.

Entre os serviços, foram ofertados verificação de pressão arterial, com orientações; teste de glicemia; testes exclusivos para fumantes: Peak Flow (avaliação respiratória); Fagerstrom (avaliação do grau de dependência à nicotina); orientações sobre produtos e ambientes livres do tabaco e distribuição de material educativo.

Para o cardiologista do Ndants, Fábio Almeida, ações como esta são muito importantes para alertar a população quanto aos problemas provocados pelo cigarro. “80% dos cânceres existentes tem o tabagismo por trás. Entre os mais comuns, o de pulmão, laringe, boca, estômago e intestino. Ou seja, doenças graves que podem ser evitadas”, alertou o médico, que ainda deu dicas para quem quer largar o vício.

“O melhor remédio para parar é a força de vontade. E, após isso, adotar hábitos que resultem numa melhor qualidade de vida, a exemplo de atividades físicas, higienização da boca, passar a tomar mais líquido e comer alimentos saudáveis”, recomendou.

 

É o que vem fazendo o servidor público Amaro Guimarães, de 66 anos. Ele largou o vício há quatro anos. Fumou durante 50 anos. Ele fumava 50 cigarros diariamente.  “Eu já estava cheio de problemas no pulmão; sentia cansaço; tinha tosse e secreção. Fora isso, era um problema atrás do outro, até que meu casamento acabou e sofri um acidente. Foi quando procurei ajuda no Cais de Jaguaribe”, contou.

Depois de conseguir parar de fumar, Amaro virou um voluntário da causa e ainda faz campanha nas redes sociais, diariamente. Na ação de hoje, vestia uma blusa com a frase: “O cigarro disse: me acenda hoje que te apago amanhã”.

“Antes, eu também criticava quem fumava. Hoje, eu aconselho pra procurar ajuda e mostro o caminho”, disse.

Na Paraíba, existem vários Centros de Referência para o Tratamento dos Fumantes, onde é oferecido apoio a quem quer se livrar do vício em nicotina. O serviço é oferecido em Unidades Básicas de Saúde; em Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Centros de Atenção Integral à Saúde (Cais). Em alguns casos, os pacientes abandonam o cigarro com menos de um mês de acompanhamento.

Em João Pessoa, o atendimento aos fumantes é feito nos Cais do Cristo, Mangabeira e Jaguaribe; no Centro de Saúde de Mandacaru e nos Caps AD III David Capistrano, no bairro do Rangel e Caps AD III, na Torre. Os Caps funcionam 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados.

O tratamento nesses locais é mantido pelo Ministério da Saúde, que repassa medicamentos ao Estado, que faz o encaminhamento aos municípios. O Estado ainda é responsável pela qualificação das equipes e monitoramento do programa de tabagismo. Os municípios implantam e executam o tratamento, por meio do Programa Nacional de Controle do Tabagismo.

“Eu costumo falar que no nosso serviço fazemos a “reconstrução” do ser, pois o fumante chega desacreditado por sofrer discriminação social, está com a autoestima baixa, problemas familiares, enfim, doente emocionalmente e fisicamente. Analisamos caso a caso e o tratamento é adequado a cada situação. O resultado é surpreendente”, disse a psicóloga clínica, do Cais de Jaguaribe, Eliane Rafael.

Durante a ação, passaram pelo local, cerca de duas mil pessoas que pegam trem, diariamente, pela manhã. A dona de casa Elediana Pereira é uma delas. “Estou com 34 anos e fumo há 15. Tenho muita vontade de parar, mas não consigo. Sinto um cansaço e só acho que seja do cigarro. Foi muito bom esse serviço porque me esclareceu mais sobre o assunto”, falou.

“A CBTU apoia estas causas por entender que tem a missão de proporcionar o espaço para a disseminação de serviços que venham beneficiar o nosso público”, disse a assistente social, da CBTU, Tamyres Leandro.

As atividades foram realizadas em parceria com a Agevisa-PB; Sociedade Brasileira de Cardiologia – Região Paraíba; Associação Médica da Paraíba (AMPB); Ligas Acadêmicas de Pneumologia (LIGAP-PB) e de Cardiologia da Paraíba (LIAC-PB); Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa (SMS-JP); Instituto Brasileiro de Políticas Públicas – Ibrapp; CBTU e os planos de Saúde, Geap, Cassi e Afrafep.

Dados – De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, a Paraíba possui hoje 453.546 fumantes e, destes, 92.197 estão em João Pessoa. Este ano, 153 pessoas morreram em virtude do câncer de pulmão. Em 2016, foram 405 óbitos, pela mesma causa e em 2015, foram 422 mortes.