Fale Conosco

16 de maio de 2011

Governo quer revitalizar cultura do algodão na Paraíba



Para revitalizar a cultura do algodão na Paraíba, a Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, por intermédio da Emater-PB, realiza uma reunião, nesta terça-feira (17), na sede da empresa, na estrada de Cabedelo, com a participação de várias autoridades do setor público agrícola e produtores rurais.

A cultura do algodão que sempre teve uma excelente produção na Paraíba, chegando a 646 mil hectares entre os anos de 1981 a 1983, em 2010 plantou-se apenas 2.100 ha. A meta do governo do Estado para este ano é incrementar a área plantada em aproximadamente oito mil ha.

Segundo o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca, Marenilson Batista, para a safra deste ano de 2011, foram distribuídas pelo Governo do Estado 33 mil quilos de sementes selecionadas de algodão da variedade BRS 8H, para cerca de dois mil pequenos produtores rurais que aderiram ao Programa do Seguro Safra.

A expectativa para 2011 é que a produção de algodão herbáceo cultivado pelos agricultores familiares tenha uma área plantada de três mil hectares, com rendimento médio oscilando em 1.200kg e 1.500kg por hectares, gerando mil empregos diretos.

Marenilson disse ainda que a produção de acordo com o que foi distribuído terá um rendimento de 3,6 mil toneladas de algodão, gerando R$ 7,2 milhões. “A produtividade agrícola da Paraíba, em relação a outros estados produtores de algodão, é muito menor. A nossa meta é tornar o algodão novamente uma fonte de renda e desenvolvimento na Paraíba”, avaliou.

Ele lembrou que outra grande preocupação do governador Ricardo Coutinho é quanto à produção do algodão colorido. Por ser também orgânico, o algodão colorido paraibano pode ampliar a margem de lucro do produtor.

Para falar das novas perspectivas para o algodão, foi convidado o pesquisador da Embrapa/Algodão Napoleão Esberard Beltrão, um dos maiores estudiosos do setor no país.

O diretor Técnico da Emater, Erasmo Lucena, informou que era preciso a realização de um evento deste porte para despertar o interesse pela cultura do algodão. A cultura algodoeira, antes do aparecimento do Bicudo em plantios no município de Ingá, em 1983, garantia uma oferta de 250 mil empregos diretos no campo, com uma produção de 120 mil toneladas.

Até março deste ano foi plantada em todo o estado uma área de 5.300 hectares de algodão branco, colorido e agroecológico.