João Pessoa
Feed de Notícias

Governo quer força-tarefa para buscar recursos e convênios para a mineração na Paraíba

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011 - 12:33 - Fotos: 
O governador Ricardo Coutinho anunciou a formação de uma força-tarefa composta por órgãos do governo, prefeituras, universidades e cooperativas de mineradores para a busca dos recursos federais e a formalização de novos convênios que possibilitem investimentos na mineração.  Ricardo também colocou como meta a Criação de um Centro de Tecnologia Mineral na UFCG e um Centro Vocacional Tecnológico (CVT) na região do Seridó para atuar na formação dos mineradores, garimpeiros e lapidadores.

O anúncio foi feito durante reunião no Centro Profissionalizante de Pedra Lavrada entre representantes do governo e integrantes de cinco cooperativas de pequenos mineradores da região do Seridó (Coopevárzea, Cooperjunco, Coomipel, Coogarimpo e Coopmineral) que falaram sobre as dificuldades e as necessidades básicas para a melhoria nas condições de trabalho dos mineradores.

A reunião também contou com a presença do prefeito de Pedra Lavrada , José Antônio Costa, o Tota, e dos prefeitos de Várzea, Junco do Seridó, São Vicente, Juazeirinho, Pedra Lavrada, Picuí, Santa Luzia e Cubati, além do Sebrae, CDRM e UFCG.  Antes, a comitiva visitou a incubadora de Artefatos de Minério (Inpedra) e a Usina de Beneficiamento de Minérios em Pedra Lavrada.

Após ouvir os mineradores, Ricardo garantiu todo o empenho deste governo para que recursos provenientes do projeto Cooperar, do Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA) e do Empreender Paraíba possuam linhas de crédito para a mineração. “Somente com o Empreender que cobrará 1,5% dos contratos com fornecedores que irá gerar um fundo de 15 a 17 milhões por ano para financiar a abertura ou incremento de negócios e abriremos também uma linha de crédito para mineradores”.   

O governador ressaltou que o governo está ciente da importância do setor mineral e começa a construir uma política pública onde o governo seja o agente central desse processo entrando com créditos para que as cooperativas adquiram maquinários, equipamentos de segurança, qualificação e escoamento da produção e que melhore a qualidade de vida das pessoas do Seridó e do Curimataú.  Ele também ressaltou que o governo saberá cobrar o imposto necessário das empresas que exploram o minério, até para promover a formalização do setor.

Durante o encontro, o minerador José Dagmar, de Pedra Lavrada, questionou até quando o Seridó será considerada a terra do minério e os garimpeiros continuaram trabalhando em condições desumanas e sem conseguir manter em boas condições suas famílias. Ele destacou que a maior dificuldade dos mineradores é com o maquinário necessário a agregação do valor ao minério que acaba sendo vendido a um preço muito baixo, além da produção insuficiente para o mercado. “Acreditamos que esse novo governo irá ajudar a transformar nossa terra uma região rica que gere emprego e renda para a população”, concluiu.