Fale Conosco

17 de junho de 2009

Governo quer agilizar obras do Museu da Cidade e do Império



O Governo do Estado quer agilidade na conclusão das obras e na instalação do Museu da Cidade e do Império, que fica numa antiga residência na Praça da Independência, segundo informou o secretário da Educação e Cultura, Sales Gaudêncio, na manhã desta quarta-feira (17), após participar de encontro no Palácio da Redenção com outros secretários e técnicos designados para retomar os trabalhos ora paralisados.

A reunião foi coordenada pelo secretário executivo da Casa Civil do Governador, Élson Carvalho, que explicou aos participantes o motivo das discussões. Ele falou que a determinação do governador José Maranhão “é para que seja encontrada uma maneira de viabilizar o mais rápido possível a conclusão da obra e a instalação do museu”.

Sales Gaudêncio disse que o governador quer o projeto desvinculado dos “entraves que estão impedindo o andamento da sua implantação, para buscar os recursos necessários e deixar o museu em pleno funcionamento”.

Por sua vez, o subsecretário da Cultura, Flávio Tavares, adiantou que existem dois projetos elaborados para o museu, sendo um da arquiteta Janete Costa e outro do arquiteto Pedro Mendes da Rocha, e isso tem dificultado o andamento da obra. No entanto, somente um será escolhido.

A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco Real já se comprometeram em colaborar com recursos financeiros, inclusive já tendo liberado uma parte dessa verba. Antes, os recursos estavam alocados para obras no Espaço Cultural, mas foram transferidos para a execução dos trabalhos de recuperação do prédio da casa onde funcionará o museu.

Flávio Tavares explicou que o Museu da Cidade e Império vai contemplar todo o período colonial e da velha república na Paraíba, passando pelo período de 1930, quando ocorreu muita agitação política, sem esquecer os ciclos econômicos que marcam a trajetória do povo paraibano.

Segundo ele, o entrave está justamente na conclusão das obras físicas, que deve ocorrer em aproximadamente oito meses. Já a parte de pesquisa foi elaborada por Ana Helena Curti, com a consultoria técnica da professora e historiadora Rosa Godoy.

Uma novidade na concepção de funcionamento do museu é de que será disponibilizado à rede pública de ensino, interligado via Internet com as escolas para que os alunos possam ter acesso aos dados e as informações sobre a formação cultural e econômica da Paraíba.

Participaram da reunião, os secretários da Educação e Cultura, Sales Gaudêncio; da Controladoria Geral do Estado, Ruy Bezerra Cavalcanti; do Turismo e Desenvolvimento Econômico, Edivaldo Nóbrega; subsecretário da Cultura, Flavio Tavares, e da Casa Civil, Élson Carvalho, além do presidente do Fundação Espaço Cultural, Maurício Burity.

José Nunes, com fotos de Walter Rafael, da Secom-PB