Fale Conosco

24 de agosto de 2011

Governo promove seminário sobre estratégias da fruticultura no Brejo



As estratégias para promoção da fruticultura na região do Brejo estão sendo discutidas no 1º Seminário de Fruticultura e Agricultura Familiar de Base Agroecológica – Pesquisas e experiências na Borborema, que está sendo realizados nesta quarta e quinta-feira (24 e 25), no Centro Marista, em Lagoa Seca.

O evento é promovido pelo Governo do Estado tendo como parceiros e apoiadores o Banco do Nordeste, o Pólo Sindical da Borborema, o Senar, a ONG Arribaçã, o Sinter-PB, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a UFPB, a Emepa e a Emater-PB.

Segundo o secretário executivo da Agricultura Familiar, Alexandre Eduardo de Araújo, além do aprimoramento técnico, a proposta do evento é aproximar as instituições que atuam com a produção de fruticultura e agricultura familiar de base agroecológica, ampliando as possibilidades de intercâmbio das experiências entre extensionistas, pesquisadores, agricultores e demais profissionais.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca, Marenilson Batista, serão ainda definidas no evento as orientações para a promoção da fruticultura no Brejo Paraibano e montagem de estratégias com as instituições de pesquisa e organizações de agricultores familiares para desencadear ações focadas no desenvolvimento sustentável do setor.

No primeiro dia do seminário, os temas são, pela manhã, a importância socioeconômica e trajetória da fruticultura na Paraíba e no Território da Borborema.  No turno da tarde será debatido o manejo agroecológico da fruticultura , com apresentação de casos de experiências bem sucedidas de fruticultura agroecológica. Os agroecossistemas sustentáveis e causas da insustentabilidade e mais o uso de produtos alternativos e controle biológico na fruticultura serão debatidos.

O segundo dia do seminário começará com a realização da 1ª Feira Territorial da Agricultura Familiar de Base Agroecológica. Haverá debates sobre os princípios e diretrizes da PNATER, seguidos das apresentações de experiências em assessoria técnica e produção agroecológica, como a experiência do Assentamento Carrasco, em Esperança, discussões sobre feiras agroecológicas (EcoBorborema), grupos de mulheres e ações do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Haverá trabalho em grupo para avaliação de todo o que foi discutido e, à tarde, encerramento.