Fale Conosco

18 de outubro de 2016

Governo promove Semana de Mobilização contra hanseníase, verminoses e tracoma



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, realiza, até a próxima sexta-feira (21), a Semana de Mobilização Estadualda 4ª Campanha Estadual de Hanseníase, Verminoses e Tracoma. A ação ocorre nos municípios da 4ª Gerência Regional de Saúde que fizeram adesão: Picuí, Baraúnas, Nova Palmeira, Frei Martinho e Barra de Santa Rosa. Durante toda semana, técnicos do Núcleo de Doenças Endêmicas promovem atividades de qualificação para os profissionais de saúde e de educação sobre o diagnóstico da hanseníase; ações de avaliação dos escolares e monitoramento dos dados no sistema.

“Priorizamos esses municípios porque, com exceção de Picuí, todos participam desta campanha pela primeira vez”, explicou a chefe do Núcleo de Doenças Endêmicas da SES, Lívia Borralho.

Na Paraíba, 69 municípios fizeram adesão à campanha,contemplando 1.215 escolas públicas e 156.385escolares na faixa etária de cinco a 14 anos.

No ano de 2016, houve aumento de 21% na adesão dos municípios e, consequentemente, um crescimento de 10% no número de estudantes que serão beneficiados ao final da campanha.

“O ambiente escolar potencializa os resultados da intervenção porque proporciona a oportunidade de atingir o maior número de crianças e adolescentes, permitindo a detecção precoce para os casos de hanseníase, por meio de avaliação de manchas na pele, identificadas por familiares e profissionais; o impacto positivo no tratamento preventivo para as verminoses, além de propiciar o diálogo entre comunidade e família sobre as doenças envolvidas na campanha”, disse Lívia.

Em 2015, os resultados da campanha foram 85,5% referentes à hanseníase; 90,6% de escolares tratados para verminoses e 81,6% examinados para o tracoma (conjuntivite), sendo dois diagnosticados e tratados.

Os casos suspeitos de hanseníase, que necessitarem de confirmação diagnóstica são encaminhados para Complexo Hospitalar Clementino Fraga, na Capital, referência no tratamento da doença, que faz parte da rede hospitalar da SES.