João Pessoa
Feed de Notícias

Governo promove mutirão de serviços para lembrar Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente de Trabalho

quarta-feira, 29 de abril de 2015 - 18:10 - Fotos:  RICARDO PUPPE

O Governo do Estado, por meio do Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador (Cerest-PB), realizou nesta terça (28) e quarta-feira (29), no Ponto de Cem Reis, em João Pessoa, um mutirão de serviços alusivo ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente de Trabalho.

O evento fez parte do calendário oficial do Cerest-PB e do Plano Estadual de Saúde e contou com a parceria do Cerest-JP e da Secretaria Municipal do Trabalho, Produção e Renda. As atividades do mutirão constaram de palestras sobre acidentes de trabalho, orientações e distribuição de material educativo sobre os Direitos do Trabalhador e Trabalhadora.
“O Cerest-PB, como representante da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), em parceria com outras instituições estaduais, faz questão de lembrar este dia como um alerta e prevenção contra os acidentes ocasionados em ambientes de trabalho”, informou o diretor institucional do Cerest-PB, Ricardo Brindeiro. O diretor afirmou, ainda, que esta é uma oportunidade de esclarecer para a população a política de prevenção, bem como explicar como lidar em caso de ocorrência de acidente. “Por ser um evento intersetorial, existem os stands com a parte de orientações para a população, como também serviços de saúde e cidadania”, disse ele.

De acordo com a técnica do Núcleo de Vigilância e Formação do Cerest-PB, Raimunda Alves de Almeida, a procura e a receptividade do evento pela população foi extremamente positiva. “Muita gente se preocupa apenas com o trabalho e esquece que, para trabalhar bem, precisa estar com saúde. O ambiente de trabalho precisa estar adequado para a realidade de cada trabalhador e oferecer os recursos que ele precisa para trabalhar da melhor maneira possível. Quem adoece o trabalhador não é o trabalho, mas os elementos do processo, e nossa função é alertar, orientar e esclarecer dúvidas para que essa população não venha a sofrer acidentes”, alertou ela.

Entre os serviços ofertados estiveram: aplicação de vacinas (Núcleo de Imunização da SES-PB), orientação e distribuição de material educativo sobre trânsito (Detran), orientações sobre biossegurança em laboratórios (Lacen-PB), doação de sangue (Hemocentro), retirada de documentos pessoais (Instituto de Polícia Científica), retirada de Carteira de Trabalho e Previdência Social e orientações sobre direitos trabalhistas (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego), orientação de perito técnico e médico quanto a direitos trabalhistas (INSS), Unidade Móvel do Sesi realizando exames de audiometria, Corpo de Bombeiros simulando primeiros socorros e princípios de combate a incêndio, teste rápido de HIV e hepatites, verificação de pressão arterial e teste de glicemia (Hospital Clementino Fraga) e retirada do Cartão SUS.

De acordo com o segundo tenente do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba, Luan Lucas, o evento foi uma maneira de demonstrar os serviços dos bombeiros para a sociedade. “Aqui nós conseguimos mostrar nossas diversas áreas de atuação, como, por exemplo, o combate aos incêndios, mostrando a utilização de extintores e mangueiras. Além disso, mostramos o atendimento pré-hospitalar, o autoresgate e o salvamento de altura. Uma excelente oportunidade de a população conhecer mais o nosso trabalho”, afirmou.

O gerente regional do DataSus na Paraíba, Sérgio Fagundes, por sua vez comentou: “Nós estamos emitindo os Cartões Nacionais de Saúde, que possibilitam a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A referência deste serviço no Estado é o Lactário da Torre e, neste evento, estamos como facilitadores do processo. Estamos muito satisfeitos porque a demanda foi muito boa e a população precisa do serviço”.

Entre os vários serviços ofertados, estiveram os testes de HIV, sífilis e hepatite C (uma parceria do Hospital Clementino Fraga, da rede estadual, com o Centro de Testagem e Aconselhamento, da rede municipal). “Fazemos os exames e os resultados saem em, no máximo, 30 minutos. Ainda existem usuários com receio de procurar os exames, mas isso tem mudado muito, especialmente pela divulgação na mídia. O resultado do exame de HIV é diagnóstico, ou seja, sai imediatamente. Com relação à sífilis e hepatite C, é feita uma triagem. Se, porventura, der reagente, indicamos o CTA, como local de referência, para que seja feita uma coleta de sangue e, assim, seja finalizado e confirmado o diagnóstico”, disse o diretor do CTA-JP, Lucas Carlos de Brito. Ele informou que, além dos exames, foram passadas orientações e aconselhamentos aos usuários.

Amarildo Silva tem 47 anos e é pedreiro. Para ele, o evento foi uma excelente oportunidade de aprender a prevenir acidentes no ambiente de trabalho e cuidar melhor da saúde. “Fiquei muito contente em poder ter, em um único local, vários serviços disponíveis de maneira fácil e gratuita. Meu trabalho exige muito cuidado para não ocorrer acidentes e quase não temos tempo de consultar médicos. Vou fazer todos os que eu puder!”, contou.

A data – No dia 28 de abril é comemorado o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho. Neste dia, em 1979, houve uma comoção mundial, quando em uma explosão, 72 trabalhadores morreram em uma mina nos Estados Unidos. Então foi decretada essa data como um marco para se repensar toda a questão da segurança no trabalho. A lei 11.121 de 2005 institui este dia no Brasil.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, em todo o mundo, cerca de 270 milhões de trabalhadores são vitimados em decorrência de acidentes de trabalho todos os anos. Cerca de dois milhões de trabalhadores perdem suas vidas no trabalho. São 5 mil mortes por dia, três vidas perdidas a cada minuto, aproximadamente o dobro das baixas ocasionadas pelas guerras e mais do que as perdas provocadas pela Aids. Doze mil das vítimas são crianças.

No Brasil, somente em 2007, 653.090 brasileiros assalariados segurados do INSS, inseridos no mercado formal de trabalho, foram vítimas de acidentes e doenças durante o exercício de suas atividades, com maior incidência de ferimentos, fraturas e traumatismos de punho e mão, incluindo amputações, queimaduras, corrosões e esmagamento. Estatísticas indicam que o Brasil perde de 2,5% a 4% do PIB a cada ano com o pagamento de benefícios previdenciários e o afastamento dos trabalhadores de suas atividades.