João Pessoa
Feed de Notícias

Governo promove I Seminário de Educação em Direitos Humanos e Cidadania

quarta-feira, 13 de junho de 2012 - 17:41 - Fotos: 

Foto: Sergio Cavalcanti/Secom-PB

O secretário de Estado da Educação, Harrison Targino, presidiu, na manhã desta quarta-feira (13), a solenidade de abertura do I Seminário Paraibano de Educação em Direitos Humanos. O evento ocorreu durante todo o dia no auditório da Escola Superior da Magistratura (Esma), no Altiplano, em João Pessoa. Na ocasião, houve também o lançamento do Prêmio Estadual de Redação João Pedro Teixeira 2012, pela viúva do líder camponês Elisabeth Teixeira. O seminário é realizado numa parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (SEE) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Em seu pronunciamento, o secretário Harrison Targino falou da importância do momento e explicitou o compromisso da Secretaria da Educação com a melhoria das relações sociais na busca pelos direitos humanos. “O governador Ricardo Coutinho gosta de dizer que o respeito à dignidade humana é o ponto de partida para todas as relações em todos os órgãos do Estado”, ressaltou.

Ele lembrou dos avanços da Constituição de 1988, observando que as conquistas obtidas é o sonho que o brasileiro tem para ser posto em prática no dia a dia. “Lá foram institucionalizados sonhos de uma sociedade mais justa e igualitária e que gostaríamos que todos os meninos e as meninas do povo conquistem”, afirmou.

A integrante do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da UFPB, professora Lúcia Guerra, destacou o compromisso que a instituição tem com o Estado e vem desenvolvendo suas ações cumprindo esse compromisso social: “Especialmente a UFPB, no seu corpo de professores, alunos e servidores que abraçaram a causa dos direitos humanos como uma causa institucional e o seminário é uma comprovação dessa ação”. Ela ressaltou a sensibilidade do governador Ricardo Coutinho, por meio da Secretaria da Educação, em promover o evento, que já foi realizado em vários estados do país e deles 15 em parceria com a UFPB.

O evento foi aberto com a apresentação de um grupo de teatro da Escola Estadual Francisco Campos, do Bairro Anatólia, em João Pessoa, formado por cinco crianças representando “as marias”. A peça retratou a vida de mulheres que passaram por situações de abuso sexual, violência doméstica, assédio moral e que são exemplos de superação, reconstruindo suas vidas por meio da educação, tornando-se vencedoras e estabilizadas profissionalmente e no ambiente familiar.

O I Seminário Paraibano de Educação em Direitos Humanos e Cidadania contou com duas mesas redondas. Pela manhã, foi realizada a mesa redonda “Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos”, com a presença da coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania da UFPE, Ainda Monteiro; do coordenador do Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos, José Baptista de Melo Neto, e da coordenadora do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da UFPB, Maria de Nazaré Tavares Zenaide.

À tarde aconteceu a mesa redonda “Educação em Direitos Humanos na Paraíba: projetos e ações”, por uma equipe de educadores e gestores das Gerências Regionais de Educação do Estado, sob a coordenação de Hygia Margareth, da Gerência Operacional de Integração Escola Comunidade (Goiesc) da SEE. Ao final do evento foi assinada a Carta de Compromisso da Paraíba com a Educação em Direitos Humanos.

Estiveram também presentes ao evento a secretária executiva de Estado da Educação, Márcia Lucena, a secretária de Estado do Desenvolvimento Humano, Cida Ramos, a secretária executiva de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta da Silva, e o presidente do Conselho Estadual de Educação, José Neto.

Lançamento do Prêmio

Foto: Sergio Cavalcanti/Secom-PB

Durante o evento, a viúva Elisabeth Teixeira, junto com o secretário Harrison Targino, mostrou a todos o cartaz de lançamento do Prêmio Estadual de Redação João Pedro Teixeira e fez um relato da sua vida, desde que conheceu João Pedro Teixeira, da sua luta após a morte do marido para criar 11 filhos e continuar no movimento camponês.

O prêmio é uma iniciativa da SEE, por meio da Gerência Operacional de Integração Escola Comunidade (Goiesc), com o objetivo de resgatar a história das Ligas Camponesas a partir da produção textual, envolvendo estudantes do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos. As inscrições vão ser iniciadas a partir da publicação do edital do prêmio no Diário Oficial do Estado (DOE), nos próximos dias.

João Pedro Teixeira – Fundador da primeira Liga Camponesa na Paraíba, Teixeira é considerado um mártir da luta pela terra no Nordeste, sua vida dedicada à defesa dos agricultores despertou a fúria de grandes latifundiários que culminou no seu assassinato no município de Sapé, localizado na mesorregião da mata paraibana. A viúva do líder camponês, Elizabeth Teixeira, o substituiu liderando a Liga Camponesa de Sapé após a sua morte.