João Pessoa
Feed de Notícias

Governo promove atividades juninas para educandos da Fundac

sexta-feira, 15 de junho de 2012 - 18:43 - Fotos: 

Foto: João Francisco/Secom-PB

Durante todo o mês de junho, o Governo da Paraíba, por meio da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac), órgão responsável pelas políticas públicas de ressocialização de adolescentes e jovens em conflito com a lei no Estado, realizará uma série de eventos e ações para celebrar os festejos juninos. A ideia é fazer com que os educandos em cumprimento de medida socioeducativa nas unidades da Fundac-PB tenham acesso a atividades que retratem a cultura, valores e a riqueza artística da nossa região.

Dentro dessa programação especial, aconteceu, nesta sexta-feira (15), o “Arraiá da Integração” no Centro Educacional do Jovem (CEJ), em João Pessoa. O evento, promovido em parceria com a Escola Estadual Almirante Saldanha e a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), contou com a apresentação de quadrilhas juninas, trio de forró pé-de-serra, comidas típicas e muitas brincadeiras e atividades que fazem parte da tradição cultural nordestina.

Já no Centro Educacional do Adolescente (CEA), também em João Pessoa, o evento ocorreu na tarde da última quinta-feira (14), abrindo a programação com destaque especial para a importância da valorização da cultura regional.

A Casa Educativa, que abriga adolescentes do sexo feminino, será a próxima unidade contemplada com a ação. Lá, as atividades acontecerão na próxima semana, mas as educandas já organizaram um mutirão para preparar a unidade para os festejos, fazendo a limpeza e a ornamentação do local.

Outras unidades da capital e do interior do Estado, entre elas o CEA de Sousa e o Abrigo Provisório e Lar do Garoto, em Lagoa Seca, também participarão da programação junina por meio de eventos e ações culturais.

Foto: João Francisco/Secom-PB

Para a presidente da Fundac, Cassandra Figueirêdo, essas atividades têm como principal objetivo valorizar a cultura popular e promover a integração entre socioeducadores, educandos, familiares e colaboradores. “É imprescindível que esses adolescentes conheçam e aprendam a valorizar a história e as tradições da nossa gente”, destacou.