Fale Conosco

24 de abril de 2014

Governo promove ações pelo Dia Nacional de Combate a Hipertensão Arterial



A Secretaria de Saúde do Estado (SES), por meio do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, antecipa para esta sexta-feira (25) as comemorações do Dia Nacional de Combate a Hipertensão, 26 de abril. As atividades começarão às 8h no Parque Solon de Lucena, na Capital.

Entre as ações disponibilizadas gratuitamente para a população estão a verificação de pressão arterial, teste de glicemia, avaliação e orientação nutricional, teste de monoximetria (medida da concentração de monóxido de carbono), teste de fargerstron (análise do grau de dependência de nicotina no organismo), aconselhamento psicológico, divulgação e orientações do Centro de Tratamento do Fumante e orientações de atividade física.

Para a gerente do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, da SES, Gerlane Carvalho, o evento é direcionado para os hipertensos, mas qualquer pessoa pode participar. “A intenção é orientar, alertar sobre a prevenção, lembrar que os fatores de risco estão interligados e que existem muitas maneiras de minimizá-los”, explicou. “Se você é totalmente sedentário e passa a fazer atividade física três vezes por semana, por exemplo, já ajuda muito a prevenir ou controlar a pressão alta. Ter uma alimentação balanceada, evitar a ingestão de álcool e não fumar também são atitudes que melhoram, e muito, a situação”, completou.

O evento conta com a parceria da Sociedade Brasileira de Cardiologia – Região Paraíba e da Faculdade de Ciências Médicas.

Hipertensão – A ausência de sintomas atrapalha o diagnóstico da hipertensão ou pressão alta. A melhor maneira de descobrir se a pessoa é hipertensa é aferindo a pressão com regularidade. A hipertensão ocorre quando a pressão arterial está acima do limite considerado normal. Considera-se que uma pessoa é hipertensa se os níveis da pressão arterial forem iguais ou superiores a 14 por 9. Nos casos de hipertensão leve, mudanças no estilo de vida – emagrecer e praticar atividades físicas – podem contornar o problema.

Existem fatores específicos que podem levar à hipertensão. O sobrepeso e a obesidade, por exemplo, são fatores de risco. A ingestão excessiva de sal e o sedentarismo também. E, apesar de não ser uma doença exclusivamente genética, a pessoa sofre um risco aumentado de ter pressão alta caso seja comum na família.

Estimativa – De acordo com a 6ª Diretriz Brasileira de Hipertensão, a pressão alta acomete 30% da população adulta e vem aumentando sua incidência em idosos e jovens obesos, estimando-se que 60 milhões de brasileiros têm o problema. A estimativa do Ministério da Saúde, baseado no Pacto pela Saúde, mostra que a Paraíba possui 55.119 hipertensos e João Pessoa totaliza 11.227 pessoas com elevação dos níveis de pressão sanguínea.

Segundo o cardiologista e médico da Secretaria de Estado da Saúde, Fábio Almeida de Medeiros, todas as pessoas com mais de 20 anos de idade – principalmente se têm histórico familiar de hipertensão arterial, diabetes ou doença cardiovascular ou obesidade – devem fazer avaliação cardiológica anualmente e quando forem a médicos de qualquer especialidade, solicitar que avalie sua pressão arterial. “Quando a irregularidade for diagnosticada, o tratamento da hipertensão arterial deve ser mantido pelo resto da vida do paciente”, alertou.

Cuidados e tratamentoQuando a pressão arterial atinge valores acima de 14 por 9 (140 por 90 mmHg), considera-se que a pessoa está com a pressão alta. Isso pode acontecer por diversos fatores, como consumo excessivo de álcool e cigarro, sedentarismo e excesso de peso. Se a hipertensão não for controlada e acompanhada por médicos pode comprometer o bom funcionamento de órgãos, causar o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto no miocárdio. A prevenção é a melhor saída, mas, caso a hipertensão seja diagnosticada, existem maneiras de minimizar.

Confira as dicas da Sociedade Brasileira de Cardiologia:

1. Verifique a pressão pelo menos uma vez por ano.

2. Pratique atividades físicas todos os dias.

3. Mantenha o peso ideal e evite a obesidade.

4. Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e com mais frutas, verduras e

legumes.

5. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.

6. Abandone o cigarro.

7. Nunca pare o tratamento. Ele é para a vida toda.

8. Siga as orientações de seu médico ou profissional da saúde.

9. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.

10. Ame e seja amado.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente alguns medicamentos necessários para o controle da hipertensão arterial (os que compõem a farmácia básica do Ministério da Saúde). O programa “Aqui Tem Farmácia Popular” também ampliou a gratuidade de medicamentos para hipertensos. De acordo com o Ministério da Saúde, hoje são mais de 15 mil farmácias e drogarias conveniadas ao programa.