João Pessoa
Feed de Notícias

Governo prioriza combate a homicídios e reforça equipes especializadas na Grande João Pessoa

quinta-feira, 7 de abril de 2011 - 11:18 - Fotos: 

A redução no número de homicídios na Paraíba, principalmente na Grande João Pessoa, é uma das prioridades da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Seds), que tem a frente, desde o início de janeiro, o delegado da Polícia Federal Cláudio Coelho Lima. Os números desse tipo de crime refletem uma curva de crescimento evidenciada nos últimos 11 anos. 

Dentro dessa perspectiva, a Secretaria de Estado e da Defesa Social ampliou o efetivo policial que atua no trabalho de repressão qualificada. A Delegacia Especializada de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, que antes contava com apenas duas equipes, mais que triplicou o número de policiais.

“Antes a delegacia tinha apenas dois delegados, agora, são sete equipes de investigação com sete delegados, oito escrivães e 21 agentes de investigação trabalhando em regime de plantão. No modelo de gestão que temos hoje, há muito mais integração entre as polícias e as respostas aos crimes estão mais rápidas”, garantiu a Gerente de Polícia Civil Metropolitana Daniela Vicuuna.

Outra novidade foi a aquisição de aparelhos de GPS, que facilitam a chegada mais rápida da polícia ao local de crime, assim como a demarcação geográfica através dos graus de latitude e longitude.

“Temos um trabalho diferenciado. A cidade foi dividida em sete setores e cada equipe tem um deles como responsabilidade. Assim, cada grupo realiza as investigações e instaura inquéritos de seu setor. Isso centraliza as informações e faz com que cada delegado conheça os criminosos e as dinâmicas de sua área, facilitando as identificações”, explicou o delegado Isaías Dantas Gualberto, titular da Homicídios.

Com o trabalho e empenho dos diversos grupos especializados da Polícia Militar, do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil, entre outros órgãos de segurança do Estado, foi possível elucidar diversos casos que chocaram a sociedade paraibana, a exemplo da morte da estudante Vanessa de Oliveira, de 19 anos, encontrada num matagal no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa; do turista carioca Igor Cabral de Souza, de 31 anos, assassinado durante um assalto na praia de Tambaú e do mais recente caso de mãe e filho, que foram brutalmente assassinados no bairro Castelo Branco. Os acusados de participação nesses crimes estão presos e aguardam julgamento.

Dezenas de acusados de outros crimes, com menos repercussão na mídia, também já estão à disposição da justiça. No último dia 11 de março, a Polícia Militar realizou a prisão de oito pessoas acusadas de integrar uma quadrilha responsável por mais de 35 homicídios em vários bairros da Grande João Pessoa. 

Curva crescente – As estatísticas apontam para um aumento médio de 20% ao ano no número de homicídios registrados na Paraíba desde 2000.  Em 2008 ocorreram 1.011 homicídios e 1.239 em 2009. No ano de 2010 a tendência de crescimento se repetiu e o número de assassinatos chegou ao tota1 de 1.457.

Diante desse quadro, a meta da Seds é reduzir esses índices significativamente. “Estamos investindo no trabalho de inteligência, aumentando o efetivo policial e capacitando cada vez mais nossos profissionais de segurança. As respostas já começam a aparecer, mas esses altos índices não são reduzidos do dia para a noite”, alertou o secretário de segurança Cláudio Lima.

Relação entre tráfico e crimes violentos – As autoridades que compõem a segurança pública no Estado são unânimes em afirmar que o aumento das mortes violentas está diretamente associado ao avanço do tráfico de drogas, um problema que atinge todo o país. Prova disso, é o elevado número de vítimas de homicídios envolvidas com essa prática criminosa. “A maioria das pessoas assassinadas em nosso Estado tem algum envolvimento com o tráfico de entorpecentes. Boa parte delas tem passagem pela polícia, ou seja, um envolvimento direto ou indireto com o submundo do crime”, detalhou o delegado Isaías Gualberto.

Desde fevereiro, a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) de João Pessoa também conta com um reforço policial. O número de equipes atuando no combate ao tráfico de drogas foi triplicado. Agora, a delegacia especializada dois delegados, dois escrivães e nove agentes de investigação.

Reforços para a Polícia Civil – A Seds também aguarda a nomeação de mais 424 policiais que concluíram no dia 31 de março o curso de formação da Polícia Civil e vão reforçar o trabalho nas delegacias de todo o Estado. São delegados, agentes de investigação, escrivães, motoristas policiais e pessoal de Polícia Científica prontos para atuar no combate à criminalidade.

“Nós acreditamos que com o trabalho integrado das polícias, com as medidas de valorização do profissional e o apoio de toda a sociedade, podemos reduzir esses índices e fazer com que a Paraíba reconquiste a tranqüilidade”, concluiu o secretário Cláudio Lima.