Fale Conosco

11 de junho de 2015

Governo prioriza ações para a redução dos efeitos da estiagem



A construção de barragens subterrâneas com poço amazonas pré-moldado, a criação de caprinos em sistema agroflorestal e o reuso de água cinza para a produção de hortaliças são algumas das 15 melhores tecnologias de convivência com a estiagem, definidas por técnicos do Projeto Cooperar e Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa (GU), em oficina, concluída nesta quarta-feira (10) que deverão ser financiadas pelo PB Rural Sustentável em parceria com o Banco Mundial, previsto para ser executado ainda este ano.

De acordo com o engenheiro agrônomo do Cooperar, Francisco de Assis Costa, a escolha das tecnologias foi feita de forma criteriosa, baseada na utilização contínua pelos produtores do semiárido paraibano e validadas por órgãos de assistência técnica como a Emater-PB.

As tecnologias de convivência com a estiagem serão implantadas através do componente Acesso à Água e Redução da Vulnerabilidade Agroclimática do PB Rural Sustentável que deverá atender a população rural dos 100 municípios mais castigados com a falta de água, com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), maior perda de safras e ainda os que apresentam maior índice de aridez.

Para este componente, está previsto o aporte de recursos no valor de US$ 32,4 milhões que serão aplicados em mais de 500 subprojetos.

Além das tecnologias já citadas, também integra a lista das 15 melhores a implantação de barramento sucessivo de pedra, poços amazonas, produção de mel com abelha sem ferrão (meliponicultura), ensilagem com o emprego do silo cincho, fenação com o emprego de enfardadeira manual, produção de palma forrageira adensada resistente à cochonilha do carmim, canais de retenção em curvas de nível, reflorestamento com essências frutíferas ou forrageiras, reflorestamento das nascentes e mata ciliar com vegetação nativa, adubação orgânica e pequena irrigação em quintais produtivos com utilização de energia solar.

A escolha das tecnologias faz parte de recomendações do Banco Mundial durante missão com técnicos do Cooperar no final de maio deste ano.