João Pessoa
Feed de Notícias

Governo participa de encontro que discute pesquisa e geração de energia elétrica

quarta-feira, 2 de agosto de 2017 - 10:27 - Fotos:  Secom-PB

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia, participou da reunião da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com instituições que realizam projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D&I) das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O encontro aconteceu no auditório do Centro de Tecnologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e reuniu gestores, pesquisadores e empresários do setor elétrico.

O evento serviu para estreitar a interlocução entre a ANEEL, as fundações de amparo à pesquisa e também as agências federais como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Presente na reunião, a secretária executiva de Ciência e Tecnologia da Paraíba, Francilene Garcia, destacou a importância do debate para o incentivo da pesquisa na Paraíba e no Brasil. “A gente sabe que o setor elétrico no Brasil tem um papel fundamental não só porque é uma das molas propulsoras para alavancar o desenvolvimento seja ele industrial ou produtivo de uma maneira geral, mas também no sentido de pensar o país para as próximas décadas e revisitar as principais fontes da matriz elétrica brasileira. A Paraíba possui um potencial de P&D na área e contribui há muitos anos para o desenvolvimento do setor elétrico brasileiro”, observou Francilene.

Cláudio Furtado, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa na Paraíba (Fapesq-PB) ressalta que a ideia é colocar os pesquisadores em contato com as empresas do setor elétrico. “A gente tem uma base instalada muito forte e tradicional na área de engenharia elétrica, eletrônica e energia renováveis tanto em Campina Grande quanto nos Institutos Federais e esse setor já faz uma captação grande de recursos comparado a outros estados. A ideia é potencializar essa captação e alinhar com as necessidades que o setor produtivo deseja, que é de tentar unir esses pesquisadores para que eles possam atuar de forma mais forte em determinadas áreas que são de interesse do setor produtivo”, acrescentou.

A Lei Federal Nº 9.991, de 24 de julho de 2000, que estabelece que o recurso arrecadado para ser investido em pesquisa, no que diz respeito aos programas do setor elétrico nacional, no mínimo 30% obrigatoriamente devido ao comando da lei, deve ser investido nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste.

André Pepitone da Nóbrega, diretor da ANEEL, afirma que falta uma rede para se promover o investimento dos recursos voltados às pesquisas. Está faltando estruturar essa rede, ou seja, a ideia é promover uma rede de pesquisa em que esse recurso possa ser alocado para se desenvolver a pesquisa, o conhecimento, que isso gere um bem e que esse bem traga um benefício à sociedade brasileira e ao consumidor principalmente”, afirmou.

Pesquisador do setor elétrico e professor da Universidade Federal de Campina Grande (UFPB), Benemar Alencar, ressalta a importância do incentivo. “É um evento importante, a Aneel é uma agência governamental que regula e que coordena trabalhos nessa área. A presença dela junto aos pesquisadores oportunizará um contato mais próximo onde se pode identificar eventuais dificuldades que são inerentes ao processo de gerenciamento da energia, da identificação dos recursos que possam ser utilizados no sentido de melhorar a qualidade dos serviços e poder aproveitar o potencial que tem no estado da Paraíba notadamente pelos centros de pesquisas que estão instalados aqui”, ressaltou.

O debate sobre o setor elétrico vai ser encerrado na sexta-feira (4), durante o IX Congresso de Inovação Tecnológica em Energia Elétrica (CITENEL) e o V Seminário de Eficiência Energética no Setor Elétrico (SEENEL), realizado bienalmente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e sendo esta edição organizada pela Energisa Distribuidora. O evento ocorre no Centro de Convenções de João Pessoa.