João Pessoa
Feed de Notícias

Governo oferece serviços de saúde no Dia Internacional de Luta Contra a Aids

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 - 09:27 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom-PB

O casal Nayara Marta e Jordan Brito aproveitaram a manhã desse domingo (1º) para visitar um dos estandes montados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde e Complexo Hospitalar de Doenças Infecto Contagiosas Clementino Fraga, entre as praias de Tambaú e Cabo Branco, onde foram oferecidos testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C, além de teste de glicemia e pressão arterial e distribuição de camisinhas.

A ação faz parte da programação de mobilização do Dia Internacional de Combate à Aids, que ocorre neste dia 1º e contou com a participação de aproximadamente 50 profissionais de saúde, entre farmacêuticos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos.

O evento ainda contou com as presenças da secretária de Comunicação do Estado, Estela Bezerra, da secretária executiva de Estado da Saúde, Cláudia Veras, da diretora do Complexo Hospitalar de Doenças Infecto Contagiosas Clementino Fraga, Adriana Teixeira, e da Chefe do Núcleo de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde, Ivoneide Lucena.

Para Jordan, ações como essa motivam a população a se cuidar e a prevenir o surgimento de doenças. “Muita gente não procura os serviços de saúde por medo e por preconceito de receber o diagnóstico da Aids, por isso acho extremamente importante ações que vão até a população. Devemos ter a consciência de que se não nos cuidarmos com um diagnóstico precoce, a doença se evoluirá cada vez mais, além de contaminar outras pessoas”, destacou o designer gráfico que juntamente com a namorada aguardava pelo resultado dos exames que realizou no local.

A diretora do Hospital Clementino Fraga, Adriana Teixeira, destacou que atualmente 2.834 pacientes com a doença, incluindo 34 crianças, fazem o tratamento e recebem o medicamento gratuitamente na unidade de saúde. Para a diretora, uma das principais dificuldades no tratamento do paciente soro positivo é o medo que ele tem de sofrer preconceito, por isso muitos acabam escondendo o diagnóstico dos familiares e dos amigos. Adriana afirmou ainda que as campanhas devem ser permanentes, independente das datas comemorativas, para que cada vez mais as pessoas sejam conscientizadas a fazer o teste rápido e a se prevenir da doença.

Para a médica e pesquisadora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa e do Centro de Referência e Treinamento de DST/Aids (CRT) de São Paulo, Maria Amélia, esta é uma ação fundamental, já que considera que a Aids no país não está controlada. “A partir do momento que captamos o paciente com a doença em uma ação como essa, identificamos precocemente, colocamos esse paciente em tratamento e consequentemente impedimos que outras pessoas sejam contaminadas, evitando assim, que outros casos ou até mesmo uma epidemia surja”, destacou a pesquisadora, que fez questão de marcar presença no evento.

De acordo com a chefe do Núcleo de DST/Aids e Hepatites Virais da SES, Ivoneide Lucena, 784 testes foram realizados na manhã deste domingo, sendo 684 de HIV, hepatites B e C e sífilis, além de 100 testes de glicemia e pressão arterial. Ivoneide informou que destes, sete foram diagnosticados, sendo um deles com HIV, três com hepatite C e três com sífilis.

Isso mostra o quanto é importante fazermos essas ações. Talvez se não estivéssemos aqui hoje, jamais esses pacientes diagnosticados teriam a determinação de procurar os serviços de saúde. São sete vidas que serão tratadas e que receberão toda a atenção necessária”, concluiu Ivoneide, dizendo que esses pacientes foram orientados a procurar o Hospital Clementino Fraga, onde receberão todo o tratamento necessário, além do medicamento gratuitamente.

Dados – Durante o ano de 2013, a SES mobilizou uma força-tarefa para implantar o teste rápido na Atenção Básica, com o objetivo do diagnóstico precoce. Foram realizadas várias ações de testagem rápida para pessoas privadas de liberdade, profissionais do sexo, homossexuais, travestis, como também para a população em geral.

De acordo com dados da SES, em 70% dos municípios paraibanos já existe o teste rápido, e só este ano 314 pessoas que fizeram essa testagem foram diagnosticadas com o vírus da Aids na Paraíba. De 1985 até o momento, 5.412 pessoas, entre adultos e crianças, foram diagnosticadas com HIV no Estado. Até o mês de outubro, 2.905 adultos e 29 crianças estavam em tratamento.

Os locais de atendimento para Aids/HIV são o Hospital Clementino Fraga e o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HU), em João Pessoa, o Hospital Universitário Alcides Carneiro e o Serviço de Atendimento Especializado (SAE), em Campina Grande, os SAE Municipais de Santa Rita, Cabedelo e Patos, além da 9ª Gerência Regional de Saúde, em Cajazeiras.

Em alusão ao Dia Mundial de Combate à Aids, 2 milhões de preservativos foram distribuídos em todo o Estado.