Fale Conosco

22 de março de 2012

Governo monta estratégia para combater praga que destrói palma-forrageira



Uma ação conjunta para controlar a cochonilha-do-carmim na região do Cariri paraibano está sendo articulada pelo Governo do Estado, num trabalho coordenado pela Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), a Emater Paraíba, a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuário (Emepa) e a Defesa Sanitária. Prefeituras municipais e outros parceiros também estão sendo convidados a integrar essa iniciativa de mobilização e conscientização dos criadores.

Nesta semana, técnicos da Emater de municípios afetados pela praga, precisamente Barra de Santana, Alcantil, Boa Vista, Santa Cecília, Barra de Santana e Gado Bravo, se reuniram no escritório regional da empresa em Campina Grande para montar uma estratégia de ação e avançar no combate a praga. Uma das providências já apontada é uma atuação forte na conscientização dos criadores, o que vai garantir o sucesso do plano.

Área infestada – Dos cerca de 160 mil hectares de plantio de palma forrageira na Paraíba, aproximadamente 40% já foram destruídos pela praga do inseto cochonilha-do-carmim. A praga tem atingido, sobretudo, municípios do Cariri paraibano – e pelo menos 70% da palma produzida na Paraíba está concentrada no Cariri e Curimataú.

Para tentar combatê-la, a Sedap tem focado na substituição da palma tradicional pelo plantio de uma que é resistente ao ataque do inseto. Só este ano, 350 mil raquetes da planta imune à praga já foram distribuídas a produtores do Estado.

A cochonilha-do-carmim é um inseto que suga a seiva das plantas, podendo também introduzir nelas vírus ou toxinas que as deixam amarelas e murchas. Desta forma, o inseto pode destruir uma plantação inteira de palma forrageira dentro de poucos meses, caso não seja combatida rapidamente.