Fale Conosco

29 de agosto de 2016

Governo lembra Dia Nacional de Combate ao Fumo com ação em shopping da capital



Neste dia 29 é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Em alusão à data, o Governo do Estado realizou ações informativas e de prevenção aos perigos do cigarro. Das 10h às 15 h, no Shopping Tambiá, em João Pessoa, uma equipe da Secretaria de Estado da Saúde realizou a exposição “O Controle do Tabaco no Brasil: Uma Trajetória”, explicando o surgimento do tabaco nas Américas e no mundo, a expansão do cigarro e a divulgação de seus malefícios. A população também recebeu orientações sobre os malefícios do tabagismo, prevenção e tratamento pelo SUS, além da distribuição de material educativo.

“Expondo por meio de banners, a população descobriu muito além da trajetória do cigarro no mundo, como também a questão dos avanços das leis, das proibições e das conquistas de ambiente livre de fumaça, que colabora bastante com a diminuição do cigarro, pois antes não tinha uma lei que proibia as pessoas de fumarem em ambientes fechados e semi-fechados, e hoje a gente vê que a população já está bem mais consciente. Mesmo ainda tendo alguma dúvida sobre os ambientes semi-fechados, explicamos aqui que, caso tenha mesas próximas, seja um lugar delimitado, coberto por um toldo, é proibido fumar, pois se eu fumar ali, todos vão fumar passivamente”, explicou a chefe do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da SES, Gerlane Carvalho.

As atividades tiveram início na sexta-feira (26), com a realização de exames de asma em crianças do 4º ao 8º ano de uma escola privada. A estudante Maria do Socorro Silva, 25 anos, falou sobre a importância de ações como essa. “Mesmo com todo o trabalho de divulgação que o governo vem realizando, ainda tem muita gente ignorante, que não entendeu o quanto faz mal fumar em ambientes coletivos. A pessoa que está ao seu lado não quer fumar, não precisa receber todas as toxinas do cigarro dos outros. Por isso esse tipo de ação é muito importante, para informar e esclarecer aqueles que ainda não sabem”, disse.

De acordo com estimativa do IBGE, 11,5% da população paraibana é fumante, o que representa 456.803 pessoas. Só em João Pessoa são 91.015 fumantes. A nicotina, presente no cigarro, causa dependência e age na região do cérebro relacionada com o prazer. Além das alterações físicas, emocionais e comportamentais, cerca de 50 doenças graves estão relacionadas ao tabaco, entre elas: câncer de pulmão, boca, laringe, estômago; leucemia; infarto; bronquite; infecções respiratórias; trombose vascular. A fumaça do cigarro tem mais de 4600 substâncias, entre elas 40 são cancerígenas.  A doença mais intimamente relacionada ao tabagismo é o câncer de pulmão (80% dos pacientes com câncer de pulmão são tabagistas). Segundo dados da SES, de 2013 ao primeiro semestre de 2016 foram registrados 1400 óbitos por câncer de pulmão na Paraíba

“Aos poucos, realizando esse trabalho de formiguinha, vamos informando a população sobre o tabagismo como fator de risco para várias doenças, divulgando e orientando a população. Como fazemos sempre em campanhas, não abordamos um único tema. Aproveitamos a realização da exposição para reforçar a questão do tratamento pelo SUS. Lembrando que são os municípios que realizam o tratamento, a SES coordena e qualifica os profissionais para implementarem os serviços. Os municípios têm esse espaço para, a cada trimestre, estar aderindo. Caso algum município queira abrir alguma unidade de saúde, só precisa entrar com o preenchimento do FormSUS na SES. Estamos sempre dando todo apoio e informações, pois quanto m ais unidades de saúde estiverem tratando o tabagismo, melhor para a população paraibana”, concluiu Gerlane.

Tratamento – Na Paraíba, existem 37 Centros de Referência para Tratamento dos Fumantes, onde se pode buscar apoio para se livrar do vício em nicotina. O serviço é oferecido em Unidades de Saúde da Família; em Centros de Atenção Psicossocial (Caps); Centros de Atenção Integral à Saúde (Cais); Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e Centros de Saúde. Em alguns casos, os pacientes abandonam o cigarro com menos de um mês de acompanhamento.

O tratamento nesses locais é mantido pelo Ministério da Saúde, que repassa medicamentos ao Estado. Este, por sua vez, é responsável pela qualificação das equipes, monitoramento do trabalho nos centros e pelo encaminhamento do material enviado pelo Ministério. Os municípios entram com a administração das unidades de saúde.
Referência – Os hospitais de referência no Estado no combate aos tipos de câncer relacionados ao uso do tabaco – pulmão, esôfago e laringe – são o Napoleão Laureano; Oncoclínica e Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa; e Hospital da Fundação Assistencial da Paraíba (Fap) e Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), em Campina Grande.