Fale Conosco

31 de maio de 2016

Governo lembra Dia Mundial Sem Tabaco com ação de saúde em shopping da capital 



O Dia Mundial sem Tabaco é comemorado neste dia 31 de maio. Entre as várias atividades programadas para lembrar a data, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), por meio do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, realizou, na manhã desta terça-feira (31), ações de saúde no piso L1 do Shopping Tambiá, em João Pessoa.

O evento começou às 10h e, entre os serviços disponibilizados para a população, estavam os testes de monoximetria (medida da concentração de monóxido de carbono); espirometria (exame do pulmão), Fargerstrom (analisa o grau de dependência à nicotina) e verificação de pressão arterial para os fumantes. Os profissionais se dividiram em vários setores do shopping para convidar e explicar à população os serviços de saúde ofertados neste evento pontual.

“Sabemos que sempre tem uma circulação expressiva de pessoas pelo shopping, então, além dos testes, foram passadas orientações sobre os malefícios do tabagismo, indicação dos locais de tratamento no Estado e distribuímos material educativo a todos. Informamos, ainda, que o tabagismo é um fator de risco para problemas cardíacos, do aparelho respiratório e circulatório”, disse a chefe do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, Gerlane Carvalho.

Ainda de acordo com Gerlane, o principal objetivo da ação é trabalhar a prevenção, sendo esse considerado um dos passos mais importantes para se evitar a incidência de diversos agravos para saúde pública. “Para isso, se faz necessário sensibilizar a população para uma escolha de hábitos saudáveis de vida, entre eles a redução do tabagismo, contribuindo, assim, para diminuição de riscos de ocorrência de doenças crônicas como o câncer de pulmão”, declarou.

Quando o indivíduo decide parar de fumar, é fundamental o acompanhamento médico. “As pessoas que buscam o tratamento precisam, antes de tudo, do desejo de parar de fumar. Não adianta a família pressionar, se o próprio fumante não se sente motivado a parar. Quando a pessoa realmente decide parar de fumar, o médico pode indicar remédios durante tratamento, mas, além disso, é necessária a mudança comportamental e orientações periódicas de profissionais capacitados para que não haja recaída”, afirmou Gerlane.

O motorista Moisés José tem 65 anos de idade e fuma desde os 25. Ele comentou que nunca teve complicações graves de saúde. “Na verdade, aproveitei o momento pra ver como está minha saúde. Fumo há 40 anos e nunca tive problemas sérios e talvez por isso nunca tenha pensado em parar de fumar”, disse ele.

Por meio dos testes, Moisés descobriu que o uso do cigarro em um período tão prolongado afetou sua saúde. “O teste do pulmão dele deu o resultado de 200 pontos, sequela do uso do cigarro, o normal é acima de 400. O grau de dependência de nicotina está de 6 a 7 pontos, o que representa um índice elevado. O indicado é que ele pare de fumar o quanto antes, pratique atividades físicas moderadas para que, aos poucos, a saúde se restabeleça”, informou a técnica do Programa de Tabagismo da SES, Terezinha Pessoa.

As atividades, iniciadas na segunda-feira (30), foram realizadas em parceria com outros órgãos, a exemplo da Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa-PB); Sociedade Brasileira de Cardiologia – Região Paraíba; Associação Médica da Paraíba (AMPB); Sociedade de Pneumologia da Paraíba; Secretaria de Educação do Estado (SEE-PB); Liga Acadêmica de Pneumologia da Paraíba (LAP-PB); Liga Acadêmica de Emergências Clínicas – LAEC/PB; Secretaria de Saúde Municipal de João Pessoa (SMS-JP); e Planos de Saúde (Geap, Cassi, Afrafep e Unimed) e Shopping Tambiá.

Tratamento – Na Paraíba, existem hoje vários Centros de Referência para Tratamento dos Fumantes, onde se pode buscar apoio para se livrar do vício em nicotina. O serviço é oferecido em Unidades de Saúde da Família; em Centros de Atenção Psicossocial (Caps); Centros de Atenção Integral à Saúde (Cais); Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e Centros de Saúde. Em alguns casos, os pacientes abandonam o cigarro com menos de um mês de acompanhamento.

O tratamento nesses locais é mantido pelo Ministério da Saúde, que repassa medicamentos ao Estado. Este, por sua vez, é responsável pela qualificação das equipes, monitoramento do trabalho nos centros e pelo encaminhamento do material enviado pelo Ministério. Os municípios entram com a administração das unidades de saúde.

Referência – O atendimento aos fumantes em João Pessoa é feito nas seguintes unidades:

Cais do Cristo, Mangabeira e Jaguaribe;Centro de Saúde de Mandacaru; Centro de Atenção Psicossocial Caps AD III-David Capistano (Rangel); Centro de Atenção Psicossocial Caps AD III (Estadual).

Dados – O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta – cerca de 1 bilhão e 300 milhões de pessoas – seja de fumantes.

De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, a Paraíba possui hoje 456.805 fumantes e, destes, 91.015 estão em João Pessoa. Este ano, 112 pessoas morreram em virtude do câncer de pulmão. Em 2015, foram 418 óbitos pela mesma causa e em 2014 foram 390 mortes.