Fale Conosco

21 de julho de 2009

Governo investe R$ 20 milhões no desenvolvimento de Patos



Investimentos da ordem de quase R$ 20 milhões para obras na cidade de Patos foram anunciados pelo governador José Maranhão nesta terça-feira (21), durante assinatura de ordem de serviço para a realização dos trabalhos. O roteiro de obras inclui o Shopping ‘Edvaldo Motta’, esgotamento sanitário, a ampliação do Agrocentro e ainda recuperação e aquisição de equipamentos para a Maternidade Peregrino Filho.

Todas as obras anunciadas pelo governador serão iniciadas a partir de setembro deste ano, como garantiu o titular da Superintendência do Plano de Desenvolvimento da Paraíba (Suplan), Gilson Frade. “Depende apenas do período licitatório”, disse, pois todos os projetos estão em fase de conclusão.

O governador chegou a Patos por volta das 9h, quando foi recebido pelo prefeito Nabor Wanderley, prefeitos da região e lideranças políticas. Após rápida entrevista, se dirigiu ao Agrocentro, onde cumpriu várias atividades, entre elas um café da manhã com comerciantes de hortifruti, de quem recebeu uma comenda, igualmente entregue ao prefeito da cidade e à deputada estadual Francisca Motta, por relevantes serviços prestados ao município.

No Agrocentro – Ainda no Agrocentro, o governador assinou ordem de serviço para a construção de um galpão e fez a entrega simbólica de 300 mil alevinos de tambaqui e tilápia, que vão beneficiar cerca de 300 produtores, e também autorizou a aquisição de equipamentos para o funcionamento da Unidade de Processamento e Distribuição de Alimentos do Programa da Sopa.

O Programa da Sopa funcionará, segundo o presidente da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa), Germano Targino, no bloco administrativo do Agrocentro numa área de 133,10 metros quadrados e vai beneficiar 200 famílias carentes, o que corresponde a 1.200 pessoas de sete comunidades como Matadouro, Vila Cavalcante, Vitória, Cruz da Menina, Sete Casas, Cangote do Urubu e Beiral.

Maranhão disse que em novembro de 1996 havia autorizado a construção da antiga Ceasa em Patos. Sofreu críticas da oposição quando alegou que Patos não precisava daquele empreendimento e que no local fosse criado um pólo calçadista. “Hoje pedem a ampliação”, disse o governador.

Atualmente, o Agrocentro de Patos comercializa cerca de três mil toneladas de hortifruti com um faturamento mensal próximo dos R$ 4 milhões, aumentando a renda dos produtores e promovendo cerca de 2 mil empregos diretos.

Maternidade – Ainda em Patos, o governador José Maranhão visitou a Maternidade Peregrino Filho, localizada na Rua Elias Asfora, no bairro do Jardim Guanabara, onde assinou a ordem de retomada dos serviços de ampliação e aquisição de equipamentos.

A maternidade, que após as reformas e a compra de equipamentos se tornará referência ou modelo na região do Sertão paraibano polarizada por Patos, contará com duas UTIs, sendo uma materno e outra neo natal.

Shopping – Concluindo sua visita a Patos, o governador assinou a ordem de serviço para a retomada das obras do Shopping ‘Edvaldo Motta’, onde funcionará a rodoviária da cidade. No local, José Maranhão também assinou a ordem de serviço para ampliação do sistema de esgotamento sanitário, tais como interceptor, rede coletora, ligações domiciliares e intra-domiciliares, beneficiando moradores dos bairros de Santo Antônio, Jardim Guanabara e Brasília, com investimentos de R$ 5 milhões.

O Shopping ‘Edvaldo Motta’, que o governador denominou de ‘rodoshopping’, contará com 45 lojas, uma delas âncora, um restaurante, quatro lanchonetes, hall para exposição, game station, três baterias de sanitários e bloco administrativo.

O empreendimento ainda contará com estacionamento para 400 veículos, quatro guaritas de controle de acesso, calçada de contorno para prática de esporte, inclusive com sinalização vertical e horizontal, ajardinamento e iluminação. Todas as lojas receberão sistema de refrigeração.

Uma rodoviária também será construída no local para ônibus, com implantação de escada de acesso ao shopping, guichês, lojas de apoio e sala administrativa.

José Maranhão percorreu o local, criticando a postura do seu antecessor que abandonou completamente a obra. A recuperação do shopping custará R$ 3 milhões aos cofres públicos estaduais.

Cardoso Filho, com fotos de Mano de Carvalho, da Secom-PB