Fale Conosco

5 de janeiro de 2014

Governo investe em benefícios para mais de 8 mil famílias de mineradores



O Governo do Estado tem investido na aquisição de máquinas para facilitar o trabalho dos pequenos mineradores. O setor envolve mais de 8 mil famílias na extração, beneficiamento e comercialização. No final do ano passado foram entregues duas retroescavadeiras, e anteriormente, outros maquinários haviam sido adquiridos para as cooperativas do setor. A Paraíba tem 17 municípios produtores de minérios.

Em 2014 um dos focos de investimento será a exploração do caulim, onde o processo de extração ainda é precário. Por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Minerais (CDRM), o Governo do Estado realizará parcerias com o Sebrae e com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). “Vamos nos unir e fazer um trabalho específico para o caulim”, destacou o presidente da CDRM, Marcelo Falcão.

No campo das pedras preciosas, o Estado e o município de Nova Palmeira apoiam uma cooperativa que já está estruturada para o beneficiamento de minerais industriais, com aplicação na indústria cerâmica, mas principalmente com relação às gemas, para agregar valor a essa atividade. Ações foram desenvolvidas com recursos do Projeto Cooperar e a partir deste ano serão feitos investimentos via Programa de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase). “Mulheres do Seridó vão produzir bijuterias” comemora o presidente da CDRM.

Marcelo Falcão ressalta que a orientação do governo Ricardo Coutinho é que haja uma política voltada para a inserção de tecnologia e mecanização no setor mineral para melhorar a produtividade e valorizar os produtos.

Nesse setor mais de R$ 5 milhões foram investidos junto às cooperativas de mineradores. Em 2014 haverá investimentos também na segurança e saúde no trabalho. Todo o setor mineral atuando dentro da legalidade alavanca a economia com a geração de impostos. “O pequeno minerador será beneficiado com o seu resgate social, e venderá melhor seu minério. Nossas parcerias também envolverão o Ministério de Minas e Energia”, conclui o gestor da CDRM.