Fale Conosco

6 de novembro de 2012

Governo intensifica perfuração de poços para combater efeitos da seca



caminhao perfuratriz foto claudio goes 5As ações de restauração e perfuração de poços artesianos estão sendo intensificadas pelo Governo do Estado para combater os efeitos da seca e garantir água de boa qualidade à população paraibana. Os serviços integram as ações desenvolvidas pela Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Minerais (CDRM) e Secretaria de Estado da Infra-estrutura, com o objetivo de minimizar as consequências geradas pela escassez das chuvas, principalmente no Sertão paraibano.

De janeiro a outubro de 2012, já foram perfurados 169 novos poços em diversas regiões do Estado, beneficiando comunidades, assentamentos e moradores das áreas mais afetadas pelo clima. De acordo com a direção da CDRM, foram investidos mais de R$ 1,5 milhão só este ano e pelo menos outros 45 poços devem ser instalados até o mês de dezembro.

“Segundo os registros do órgão, esse é o número mais elevado dos últimos 15 anos e isso demonstra a intensidade com que o Estado está trabalhando para minimizar os problemas da seca em toda Paraíba. Essas ações são fundamentais para o semiárido, onde existem milhares de pessoas em situação extrema e, por isso, buscamos resgatar a dignidade do povo através dessas ações”, afirmou o diretor-presidente da CDRM, Marcelo Falcão.

Atualmente existem na companhia 89 solicitações formais para novas perfurações, que geralmente são reivindicadas por associações de moradores, comunidades de produtores da agricultura familiar e prefeituras.

Restaurações – Os trabalhos envolvem 486 estruturas. O serviço é realizado por empresas terceirizadas, sob a coordenação da Secretaria de Estado da Infra-estrutura. Foram investidos mais de R$ 3 milhões. As renovações desses pontos vão beneficiar, no mínimo, 10 mil pessoas em todo Estado.

“Nós precisamos encontrar soluções para abastecer as comunidades e por isso estamos reforçando as ações nos municípios localizados no Cariri, Sertão e Curimataú. A reativação de poços já perfurados é essencial para garantir a sobrevivência dessas comunidades durante a estiagem”, revelou o secretário de Estado da Infra-estrutura, Efraim Moraes

perfuratriz perfura poço em CG foto claudio goes secom pb (9)Os casos mais comuns são problemas com a desobstrução dos encanamentos, manutenção de bombas e readaptação da profundidade dos poços.

Estrutura de Trabalho-Atualmente dois grupos de equipamentos com perfuratrizes e compressores estão atuando na perfuração dos poços. As equipes são formadas por um sondador e dois auxiliares de perfuração e chegam a perfurar, em média,  dois locais por dia.

Segundo os estudos históricos da CDRM, a média de profundidade dessas estruturas é de 50 metros e as instalações buscam aproveitar o volume máximo de água existente nas fraturas das rochas. A compra dos materiais necessários para instalação dos poços como bombas, encanações, cimento e caixas d’águas também está ocorrendo com mais agilidade para acelerar a ativação dos espaços.

Nessa segunda-feira (5), também foi adquirido, através de processo licitatório, um novo caminhão. O veículo será utilizado para dinamizar o serviço de testes de vazão nos locais onde serão abertos novos poços.