Fale Conosco

5 de março de 2015

Governo instala medidores de vazão ultrassônicos em Coremas



O Governo do Estado, por meio da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), juntamente com a Agência Nacional de Águas (ANA), instalou nessa quarta-feira (4) dois medidores de vazão ultrassônicos na bacia de Coremas. A medida vai permitir maior controle sobre o nível do reservatório, responsável pelo abastecimento hídrico de cidades como Condado, Patos e São Mamede, no Sertão da Paraíba. De acordo com o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva, das 124 barragens que abastecem o Estado, 50 estão com mais de 20% da capacidade, 37 com menos de 20% da capacidade e outras 37 com menos de 5%.

João Fernandes da Silva destacou que a instalação dos medidores de vazão ultrassônicos representa um grande passo para melhorar ainda mais a gestão dos recursos hídricos da Paraíba. “Estamos vivenciando um momento em que se requer atenção quando o assunto é a gestão das águas do Estado. Tivemos dois anos de seca e já caminhamos para mais um ano. A instalação desses medidores vai permitir que tenhamos um controle racional e efetivo do uso da água desse manancial”, afirmou.

O presidente da Aesa ressaltou ainda que outros mananciais poderão receber equipamentos dotados da mesma tecnologia. “A instalação desses equipamentos, que custam um pouco caro, vai depender da necessidade. O que podemos ressaltar é que, mesmo em um período desfavorável, podemos afirmar que o Governo do Estado tem tomado todas as providências possíveis para garantir o abastecimento hídrico para esta e as gerações futuras. O que precisamos ter, para que isso aconteça, é gestão, é cuidar melhor do que temos”, acrescentou.

Restrições – João Fernandes afirmou que, caso as chuvas fiquem abaixo da expectativa, serão adotadas medidas para garantir o abastecimento hídrico nos pontos mais críticos do Estado. “Caso isso aconteça, vamos restringir o uso da água para certas atividades. É necessário que a população se conscientize de que esse bem – tão importante nos dias atuais – não pode ser desperdiçado. O nosso grande compromisso é garantir o abastecimento humano e também animal. Por isso, é preciso ter maior controle, evitar desperdícios ao máximo”, disse.

Estado de Atenção – De acordo com Porfírio Loureiro, diretor-técnico da Aesa, mesmo com as chuvas que atingiram algumas regiões da Paraíba em janeiro, apenas o Açude Epitácio Pessoa, localizado na cidade de Boqueirão, obteve uma recarga significativa. O ganho foi de 3,3 milhões de metros cúbicos, equivalente a 0,8%. “Da capacidade total do Estado, estamos com 20,6%. Isso significa que devemos redobrar a atenção, gerenciar ainda mais os recursos hídricos de forma eficiente. Para isso, é fundamental que a população faça parte desse processo, e continue fazendo uso da água de forma racional”, pontuou.

O diretor-técnico da Aesa acredita que a situação fique confortável com a chegada do período chuvoso, previsto para o mês de maio. “Com a chegada do período chuvoso, esperamos que os principais reservatórios paraibanos ganhem recargas significativas e, assim, possamos ter uma situação bem mais favorável. É necessário ressaltar, no entanto, que o uso racional da água é fundamental para que o Estado possa conquistar uma situação mais tranquila”, disse.

Porfírio Loureiro informou ainda que, em maio, a Aesa vai ter uma análise mais precisa da situação hídrica do Estado e decidir quais medidas serão tomadas. “Com base nesses dados, podemos definir de qual açude se vai retirar água, envio de carros-pipa, além de outras providências que o Governo do Estado poderá adotar para amenizar eventuais problemas por conta da escassez de água”, concluiu.

Liderança – Diagnóstico do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SIS), divulgado em janeiro pelo Ministério das Cidades, apontou que a Paraíba lidera a contenção de desperdício de água na Região Nordeste. Em 2013, a Paraíba registrou uma taxa de desperdício de 36,2%, índice abaixo da média nacional (37%), figurando como o estado que menos desperdiçou água no Nordeste e em 11º no ranking do País. No panorama do Norte e Nordeste, a Paraíba fica atrás apenas do Tocantins (34,3%). O Estado também apresentou queda de três pontos percentuais no desperdício em comparação ao ano anterior, já que em 2012, havia registrado 39,3% em perdas de água, segundo o SNIS.

A Paraíba é o quarto Estado do Nordeste em investimentos na área, no ano de 2013, com R$ 148,4 milhões. Em um ano, o Governo mais que dobrou os recursos para abastecimento de água, já que em 2012, foram investidos R$ 70,3 milhões. O levantamento do SNIS também traz os registros de 2011, apontando um salto ainda maior, tendo em vista que, na época, o Estado investiu R$ 24,3 milhões.

Investimentos - De acordo com o diretor Administrativo e Financeiro da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Jorge Gurgel de Souza, a melhoria é resultado dos investimentos massivos do Governo do Estado nos últimos anos. “É prioridade do governador Ricardo Coutinho otimizar cada vez mais o abastecimento e a garantia hídrica da população. Por isso, desde 2011, intensificamos as fiscalizações para combater o uso irracional da água tratada. Substituímos 309 mil hidrômetros, e adquirimos 120 mil novos equipamentos para serem instalados este ano. Também reduzimos a quantidade de vazamentos e estamos reaproveitando a água de lavagem dos filtros para retornar para o sistema, evitando o desperdício, entre outras medidas”, explicou.