João Pessoa
Feed de Notícias

Governo inicia projeto de ressocialização “Construindo a Liberdade” na capital

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 - 16:08 - Fotos:  Roberto Guedes / Secom-PB

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a Secretaria de Educação Estadual, iniciou na manhã desta quinta-feira (23) as ações do projeto “Construindo a Liberdade”. A iniciativa pioneira acontece na Escola Estadual de Ensino Fundamental Dom Carlos Coelho, no bairro dos Bancários, e consiste na realização de serviços de manutenção em escolas públicas estaduais, utilizando mão de obra dos reeducandos do sistema prisional paraibano.

Esta primeira ação do “Construindo a Liberdade” contou com a participação de 18 reeducandos, que iniciaram os serviços de capinagem, reparos hidráulicos, pintura e limpeza da escola. Esses serviços vão proporcionar uma melhoria significativa para os estudantes da unidade escolar estadual, além de despertar nos presos o valor da reinserção social pelo trabalho.

O Secretário Wallber Virgolino comentou que a ação é inovadora, aproximando os reeducandos da população através da prestação desses serviços. “Projetos como esse de ressocialização realizados pela Seap, tornam os apenados importantes para a sociedade, fazendo com que eles se sintam valorizados e tomem gosto pelo trabalho, mostrando que o Estado se preocupa com o bem estar deles e quer que eles se ressocializem. Vale lembrar que antes desses apenados entrarem nesses programas, têm o perfil avaliado e para cada dia de trabalho um dia de pena é reduzido. A meta é expandir o projeto ‘Construindo a Liberdade’ para todas as escolas estaduais da Paraíba”, destacou.

De acordo com o Juiz das Execuções Penais da Capital, Carlos Neves, ressocializar e humanizar são princípios da Execução Penal tornados prática com a promoção do trabalho entre os apenados do regime semiaberto. “Hoje temos uma exceção, um preso do regime fechado, o que é uma novidade também, porque esse tipo de trabalho geralmente é executado apenas por reeducandos do regime semiaberto. Estamos a partir desse projeto ampliando esse leque de opções de ressocialização mas, sob vigilância. Tudo isso contribui para todos, o Estado com economia de mão de obra e o preso que se sente útil, usando a habilidade que ele tem para trabalhar”, acrescentou o juiz.

A gerente da Primeira Regional de Ensino, Wleica Quirino, falou em nome Secretaria de Educação agradecendo a parceria e a união de forças entre as duas secretarias. “Encontramos escolas que precisam de reformas e qualquer parceria que traga benefício para as unidades educacionais são bem vindas. A escola Dom Carlos Coelho será restaurada e quando os alunos chegarem aqui poderão ver o resultado dessa união e interdisciplinaridade entre a Seap e a Sedec”, afirmou.

Beneficiados

Washington de Lima, de 32 anos, que está no regime semiaberto e foi preso por tráfico de drogas, comentou sobre a oportunidade de novamente trabalhar e contribuir com o aprendizado dos estudantes paraibanos. “Gostaria de agradecer a nova oportunidade para dar a volta por cima e contribuir na reforma e melhoria de uma creche ou escola como esta aqui”, relatou.

O apenado Aderivaldo de Lima, 44 anos, foi preso por homicídio e é o único reeducando do regime fechado que está trabalhando no projeto. “Eu vim aqui para dar a minha contribuição como artista e como ser humano. Vou usar a minha criatividade para fazer um obra de arte voltada para as crianças que estudam aqui”, relatou.

A segunda etapa do projeto “Construindo a Liberdade” na escola Dom Carlos Coelho acontece no primeiro dia de volta às aulas, quando os reeducandos vão apresentar os trabalhos desenvolvidos por eles aos estudantes e compartilhar as dificuldades que aconteceram por causa dos erros cometidos e os levaram à prisão. O objetivo é alertar e afastar os jovens do mundo do crime que tenta seduzir os jovens cada vez mais cedo.