Fale Conosco

13 de março de 2014

Governo inicia campanha contra tabagismo em defesa do fumante passivo



Tabagismo na área hoteleira” é o tema da Campanha de Combate ao Tabagismo promovida pelo Governo do Estado, por meio de parceria entre Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (SES), com o apoio da Sociedade Paraibana de Pneumologia e Associação Médica da Paraíba. A campanha será iniciada nesta sexta-feira (14), a partir das 9h, com palestras realizadas no auditório da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) e direcionadas especialmente para os responsáveis legais pelos hotéis, pousadas, bares e restaurantes instalados na orla marítima de João Pessoa.

Participam da solenidade de abertura, a diretora geral da Agevisa/PB, Glaciane Mendes; a diretora técnica de Ciência, Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa/PB, Helena Teixeira de Lima Barbosa; a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares; o diretor de Economia e Fomento da PBTur, Francisco Linhares; o presidente da Abrasel/PB, Marcos Mozzini, e o vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Paraíba (ABIH/PB), Tadeu Sobreira Pinto.

Serão realizadas três palestras ligadas ao problema do tabagismo. A primeira, sobre “Morbimortalidade/Tabagismo Passivo”, será proferida pelo médico pneumologista e representante da Sociedade Paraibana de Pneumologia e Associação Médica da Paraíba, Sebastião Costa. Na sequência, a especialista em Regulação e Vigilância Sanitária da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Vânia Regina Câmara, falará sobre o tema “Ambiente Livre da Fumaça do Tabaco”. A terceira palestra, sobre “A Saúde do Trabalhador e o Tabagismo”, será proferida pela assistente social do Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador na Paraíba (Cerest/PB), Maria de Lourdes Gomes.

Ainda na sexta-feira (14), a partir das 18h, a equipe do Governo do Estado estará no Busto de Tamandaré, nas proximidades do Hotel Tambaú e da praia do Cabo Branco, informando e orientando as pessoas que passarem pelo local, assim como as que estiverem em lanchonetes da área, e distribuindo material informativo sobre o tratamento do fumante na Paraíba, os males do tabagismo passivo e a questão da fiscalização.

Fumante passivo – Segundo a diretora técnica de Ciência, Tecnologia Médica e Correlatos da Agevisa/PB, Helena Lima, o fumante passivo (pessoa exposta à fumaça de cigarros, charutos, cachimbos etc. em locais fechados e coletivos) fica suscetível aos malefícios causados pelo fumo, mesmo não tendo o hábito ou o vício de fumar.

Os efeitos nocivos de fumar ativamente, conforme Helena Lima, são conhecidos há muitas décadas e atualmente se reconhece que os não fumantes têm muitas das doenças que os fumantes costumam apresentar, justamente por estarem expostos à fumaça do cigarro. A adoção de ambientes livres do fumo, segundo ela, é o único modo de proteger a população das doenças causadas pela Poluição Tabagística Ambiental (PTA), já que ficou comprovado que não existem níveis seguros de absorção da fumaça de cigarros.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o fumo passivo é a terceira maior causa de morte evitável no mundo, sendo a fumaça do cigarro o principal agente poluidor de ambientes fechados.