João Pessoa
Feed de Notícias

Governo incentiva agricultura familiar e garante inclusão social de agricultores

terça-feira, 7 de julho de 2015 - 14:40 - Fotos: 

O Governo da Paraíba, em parceria com o Governo Federal, tem investido fortemente na agricultura familiar, garantindo a permanência no campo e a inclusão social e produtiva de milhares de famílias agricultoras, com o apoio e o assessoramento de Emater-PB, empresa integrante da Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa (GU), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap).

Um exemplo que merece destaque é o Programa Brasil Sem Miséria (PBM), que nos últimos quatro anos já beneficiou mais de seis mil famílias agricultoras, com a execução de atividades agrícolas e não agrícolas, como avicultura, caprinocultura, ovinocultura, bovinocultura, horticultura, fruticultura, piscicultura, agricultura, pesca artesanal, carpintaria, salão da de beleza, entre outros.

Do total de cerca de R$ 18 milhões destinados à execução dessas ações, R$ 6.679.200,00, referente à primeira parcela, já foram liberados para 2.783 famílias agricultoras dos Territórios do Cariri Ocidental, Borborema e Mata Norte. Resta para liberação da segunda parcela de R$ 11.520.000,00 que vai beneficiar 4.800 agricultores.

O Cariri está entre as regiões que mais se destacaram com os projetos produtivos advindos do Programa. Das l.600 famílias atendidas pela Emater, 496 foram contempladas com o fomento nos 17 municípios que compõem o Cariri Ocidental. Elas receberam R$ 2.400,00, não reembolsáveis, parcelado em três vezes, sendo a primeira parcela de R$ l.000,00 e as demais de R$ 700,00 para desenvolverem ações.

Caso de sucesso – O agricultor Joelson Soares Silva, do Sítio Cinco Vacas, em Sumé, região de Serra Branca, com assessoramento da Emater-PB, há cinco anos começou a produzir hortaliças nas nascentes de barragem existente na região e hoje vislumbra dias melhores. Antes, trabalhava na produção de carvão, atividade que não pretende retornar. Com o acompanhamento de extensionistas, o agricultor ampliou as atividades agrícolas, diversificando a produção de hortaliças e de pequenos animais, com isso aumentou a capacidade de atendimento aos fregueses no mercado de cidades vizinhas e, também, nas comunidades rurais perto de onde reside.

Segundo o agricultor, foi a partir dos recursos do Brasil Sem Miséria que ele conseguiu ampliar a atividade. Com o dinheiro recebido do financiamento de R$ 2.400,00 fez investimentos na diversificação de produção de hortaliças. Em uma área de menos de um hectare de terra, ele planta alface, coentro, cebolinha, beterraba, pimentão, couve-flor e tomate, mas é fácil também encontrar, entre outras, maracujá, laranja, goiaba e banana. Com a orientação da Emater-PB, Joelson Soares se credenciou a acessar os recursos do Pronaf para a implantação de equipamentos que ajudaram a melhorar a qualidade de vida de sua família.

“Foram os recursos do Brasil Sem Miséria que ajudaram a ampliar a produção e a melhorar a minha vida e de minha família”, comentou. Ressaltou que, quando precisa, os técnicos da Emater chegam com a orientação. “Aliás, foram os extensionistas que abriram os caminhos e somos bastante gratos por isso”, disse.

Antes de fazer parte do projeto ele trabalhava com a queima de lenha para fabricar carvão, em condições precárias e com renda insuficiente. É importante destacar que o agricultor utiliza sistema econômico de irrigação, que economiza bastante água, já que na região há uma grande escassez nas barragens. Ele perfurou um poço artesiano e projeta, para o futuro, pleitear os benefícios do programa Tarifa Verde, que concede descontos especiais para quem utiliza a energia em horário especial para a irrigação ou outra atividade na propriedade rural.

Como os negócios se consolidaram, já comprou um veículo para o transporte da mercadoria, “tudo com a venda das hortaliças e do que a terra produz”, ressaltou. Ele destacou que são visíveis os avanços que o programa trouxe para as comunidades. “Com maior diversificação das atividades, eles têm garantida uma renda continuada durante todo o ano e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida para as famílias”.

Outra família beneficiada em Sumé foi a do o agricultor Gilvan Amorim de Freitas, do Sítio Areal, que passou a ter uma melhor condição de vida com uma renda proveniente da criação de galinhas caipiras. Mesmo ainda enfrentando algumas dificuldades, Gilvan não desanima e tem como projeto para o futuro a compra da propriedade. Antes de decidir pela criação de galinhas, ele tinha sua renda proveniente de aluguel de pasto para os criadores da região, nem sempre dando bons resultados devido às estiagens prolongadas.

Com os recursos de R$ 2.400,00 do PBSM construiu um aviário, adquiriu um lote de 200 pintainhos e três meses depois, estava vendendo a produção, para o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA. Com a renda da comercialização das galinhas, mesmo tendo deixado algumas no criatório, teve um lucro líquido de R$ 2.388,00 com a venda de 150 galinhas, retirando as despesas de custos de produção de R$ 622,00 obtendo uma renda mensal de R$ 588,00.

Animado com o sucesso do empreendimento, Gilvan Freitas pretende fazer uma ampliação do projeto para a criação de galinhas de capoeira, utilizando a área em torno do aviário. “Isso vai ser possível com o auxílio dos técnicos da Emater porque, desde o primeiro momento, estão juntos de todos nós e quando precisamos, orientam e acompanham nosso trabalho”, destacou o agricultor.

Outro exemplo desses avanços proporcionados pela inclusão produtiva fomentado pelo Brasil Sem Miséria é o agricultor Damião da Costa Tertulino, antes residente no Sítio Balanço, em Serra Branca, no Cariri Paraibano, que hoje comemora os progressos na sua atividade e melhoria na condição de vida da família. Deixou de trabalhar em terras pertencentes a outras pessoas e comprou um terreno no Sítio Lagoinha, no mesmo município, onde continua com suas atividades.

Considerado pelos extensionistas um agricultor familiar modelo, seja pelo trabalho executado ou pela persistência, e também porque acredita no trabalho que executa, hoje Damião é dono de um sítio onde exercita sua liberdade financeira. O sitio tem menos de um hectare de terra, mas conta com uma infraestrutura que garante executar suas atividades. Tem curral para as cabras e os cabritos, poço artesiano para irrigação da reserva de alimentação do plantel de caprinos e uma pequena horta. No local, o agricultor também já iniciou a construção de aviário para voltar a criar galinhas.

Ele está com um plantel de dez cabras produzindo leite que comercializa dez litros diários ao programa do governo, garantindo uma renda mensal de R$ 495.00. Damião disse que tudo o que possuía atribuía ao apoio recebido da Emater local, que orientou a buscar os recursos do Brasil Sem Miséria, inicialmente para a criação de galinhas e depois orientando na criação de cabras leiteiras.

“Tudo nós conseguimos com persistência e muito trabalho”, comentou Damião, que construiu a casa onde mora com a família.

Já o Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais garantiu que 354 mil famílias recebessem assistência técnica para aumentar a produção e melhorar a renda. Destes, 171,5 mil famílias passaram por todo o processo de assistência técnica e receberam os recursos financeiros do programa.