João Pessoa
Feed de Notícias

Governo implanta serviço especializado para gestantes de alto risco

terça-feira, 9 de março de 2010 - 13:23 - Fotos: 
A Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (SES), conta, há dois meses, com um Centro de Medicina Materno Fetal, primeiro serviço público do Estado a oferecer atendimento especializado às mulheres com gravidez de alto risco, que são encaminhadas pelas unidades básicas de saúde.

Pacientes com gestação gemelar e diagnóstico de fetos com má formação, cardiopatias congênitas e restrição de crescimento, agora, têm acesso a exames especializados e acompanhamento médico, gratuitamente.  

O objetivo do Centro é antecipar o diagnóstico, garantir um parto seguro e encaminhar o recém-nascido para um serviço de referência, onde ele possa ser tratado de forma adequada. O serviço conta com um programa desenvolvido pela Fundação de Medicina Materno Fetal, da Inglaterra, que calcula o risco individual de cada mulher para os casos de cromossomopatias, como síndromes de Down, de Klinefelter, de Patau e de Edwards, entre outras.

O programa aponta apenas indício das cromossomopatias, mas a confirmação será feita através de exames, como amnioncentese, biópsia de vilo corial e translucência nucal, que também são oferecidos  pelo serviço.

No local, as gestantes também podem fazer a dopplervelocimetria, um tipo de ultrassonografia que avalia a circulação da mãe para a criança e o fluxo nos vasos internos do bebê. O exame é indicado em casos de diabetes, hipertensão e retardo do crescimento fetal, entre outros.

“Com o atendimento especializado que fazemos no centro, temos condições de avaliar, detalhadamente, cada caso e decidir, com antecedência, qual o melhor local para a realização do parto. O nosso objetivo é garantir segurança tanto para a mãe como para o bebê”, disse o coordenador do Centro, Eduardo Fonseca, que é especialista em medicina fetal e obstetrícia de alto risco.

Atendimento especializado
– Grávida de sete meses do segundo filho, a dona-de-casa Janaina Silva, 29 anos, moradora de João Pessoa, foi encaminhada ao serviço depois de realizar uma ultrassonografia, que detectou um problema no coração do bebê. Na ultrassonografia realizada no centro, veio a confirmação: o feto apresenta uma cardiopatia congênita e, por isso, a mãe foi encaminhada a um cardiologista e terá que se submeter a uma série de exames complementares. “Eu não sabia da existência desse serviço, só vim porque me mandaram pra cá. Apesar de ter ficado nervosa com o que o médico disse, estou aliviada porque, se não tivesse sido atendida aqui, não iria descobrir o problema do meu filho”, disse Janaina.

Eduardo explica que, quanto mais cedo for feito o diagnóstico, melhores serão os resultados. O ideal, segundo ele, é que os problemas com o feto sejam detectados no primeiro trimestre da gravidez. “Quanto mais cedo descobrirmos o problema, mais tempo teremos para acompanhar a gravidez e programar o parto, para que ele ocorra num local seguro, seja aqui ou em outro estado. Sem o diagnóstico precoce, a criança corre o risco de nascer numa maternidade que não está preparada para fazer um atendimento mais complexo, de uma criança com cardiopatia, por exemplo”, disse o médico.  

Consultas agendadas – O Centro de Medicina Materno Fetal funciona em um prédio anexo à Maternidade Frei Damião, no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, e o atendimento deve ser agendado pelas unidades básicas de saúde de qualquer município, pelo telefone (83) 3215-6033. As consultas e exames são realizados às terças-feiras, das 10h30 às 12h30.

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB