Fale Conosco

19 de outubro de 2015

Governo implanta projeto Eco produtivo em Remígio para atender agricultores familiares



O Assentamento Oziel Pereira, no município de Remígio, receberá nesta terça-feira (20) as ações do Projeto Eco Produtivo, que visa o desenvolvimento rural sustentável e o fortalecimento socioeconômico da comunidade, levadas pelo Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca (Sedap), cuja proposta é impulsionar a agricultura familiar local.

Atendendo a quatro comunidades, as ações foram lançadas na semana passada na comunidade Bartolomeu, em Bonito de Santa Fé, no Quilombola Pitombeira, no município de Várzea. Depois de Oziel Pereira, finalizando, nesta quinta-feira (22), acontecerá o lançamento no Assentamento Alagamar, em Salgado de São Félix. Ao todo, serão 482 famílias atendidas e 2.420 pessoas, indiretamente.

Localizado na região assistida pela Emater em Areia, o Assentamento Oziel Pereira terá 50 famílias beneficiadas. A maior expressão econômica é a bovina, seguida da criação de aves, ovinos, caprinos, suínos e criação de abelhas com seis apiários. A produção agrícola predominante é de feijão e milho (tanto em consórcio como isolados), hortaliças, batata doce, mandioca, batatinha, jerimum, palma forrageira e capineira. As frutíferas destacam-se o caju, manga, coco, laranja, acerola, banana, maracujá e cajá.

Como aconteceram com as outras comunidades, as famílias participaram na elaboração do Diagnóstico Rural Participativo. O projeto tem por objetivo buscar a sustentabilidade das áreas produtivas em assentamentos e comunidades quilombolas, colaborando para a melhoria socioeconômica e ambiental das unidades familiares. O fortalecimento do agronegócio, a preservação das nascentes, das matas ciliares e formação de agentes multiplicadores dessas ações foram propostas discutidas.

As famílias tiveram participação importante ma aplicação do DRP, por meio de desenhos, números, mapas, fluxograma, matrizes, maquetes e diagramas, finalizando com a construção do plano de ação de cada comunidade.

As comunidades atendidas serão contempladas com mudas frutíferas, implantação de pomar individual, hortas caseiras e quintais produtivos, além de mudas nativas florestais, visando a recuperação das nascentes e matas ciliares. Também terão plantio de palma forrageira para suplementação de ração animal.

O lançamento do projeto é coordenado pelo presidente da GU, Nivaldo Magalhães, com a participação do diretor técnico da Emater, Vlaminck Paiva Saraiva, do coordenador de operações, Alexandre Alfredo e integrantes da comunidade, além da prefeitura municipal, de secretários municipais, de pesquisadores da Emepa, de extensionistas, de representantes de associações comunitárias rurais e Conselhos Municipais de Desenvolvimentos Rurais Sustentáveis (CMDRs), e parceiros envolvidos.