Fale Conosco

29 de novembro de 2013

Governo firma parceria com Ministério Público para fiscalizar uso da água nas Várzeas de Sousa



29.11.13 aesa 1 270x180 - Governo firma parceria com Ministério Público para fiscalizar uso da água nas Várzeas de SousaO Governo do Estado, por meio da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), está trabalhando em conjunto com os Ministérios Públicos Estadual e Federal para fiscalizar o uso da água no Canal da Redenção, nas Várzeas de Sousa. A parceria foi firmada nesta sexta-feira (29), durante reunião no Centro de Apoio Operacional as Promotorias de Justiça do Meio Ambiente (CAOP), em João Pessoa.

No encontro entre promotores de justiça e dirigentes da Agência Estadual foi reafirmada a necessidade de diminuição das áreas irrigadas e da realização de um recadastramento dos usuários. “Vamos dar prioridade aos pequenos irrigantes, aqueles que têm culturas de subsistência. O objetivo é fazer com que esta água atenda a um maior número de pessoas e não fique concentrada nas grandes irrigações”, informou o presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho.

O coordenador do CAOP, Andrea Bezerra Pequeno Alustau, destacou a importância do trabalho realizado pela Aesa e garantiu apoio aos promotores que atuam em casos ligados a recursos hídricos e meio ambiente. “Esta parceria fortalece o bom trabalho que vem sendo desenvolvido pela Aesa e melhora a atuação do Ministério Público. O papel do CAOP é formar este elo de ligação entre os órgãos estaduais e os promotores, fazer esta intermediação em prol da população e resolver problemas como o conflito pela água do Canal da Redenção”.

29.11.13 aesa 2 270x192 - Governo firma parceria com Ministério Público para fiscalizar uso da água nas Várzeas de SousaRevitalização – Em maio deste ano, o governador Ricardo Coutinho autorizou a reforma do Canal da Redenção com investimentos na ordem de mais de R$ 1 milhão. Quando estiver pronto, o Projeto de Irrigação Várzeas de Sousa vai beneficiar 395 famílias e gerar cerca de 5 mil novos empregos diretos – e aproximadamente 12 mil indiretos. A expectativa é que nessa área sejam produzidos banana, goiaba, manga, melão, algodão e hortaliças, além de ovinocultura orgânica.

O projeto é uma iniciativa do Governo do Estado com a finalidade de impulsionar e dinamizar a agricultura nessa região. A infraestrutura é composta por um canal de 37 km de extensão, onde há túneis, sifões e galerias. Compõem ainda o projeto um reservatório de compensação, estação de bombeamento, subestação elétrica, adutoras, reservatório de distribuição, rede de drenagem, rede viária, cercas do perímetro, reserva legal e centro gerencial.