João Pessoa
Feed de Notícias

Governo estimula desenvolvimento regional a partir da agricultura familiar

quarta-feira, 20 de novembro de 2013 - 18:47 - Fotos:  José Marques / Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho reuniu-se, nesta quarta-feira (20), com empresários e representantes dos produtores de algodão orgânico da Paraíba. O objetivo do encontro foi planejar o desenvolvimento regional na Paraíba e integrar a produção da agricultura familiar com as possibilidades de expansão industrial da matéria prima paraibana.

O mercado brasileiro e mundial para a produção orgânica é inevitavelmente crescente, segundo o governador. “É um nicho de mercado com muito potencial expansivo e, mais do que isso, representa o melhor caminho econômico para o desenvolvimento social da população em qualquer lugar do mundo”, declarou.

Ricardo reiterou o interesse do Governo no projeto e destacou a possibilidade do consórcio do algodão com outras culturas. “A região de Sousa é uma das que possivelmente pode abrigar este projeto. E a tradição de produção leiteira da localidade poderá funcionar em consórcio com o algodão, já que a semente do algodão é base para alimentação do gado”, lembrou o governador.

A presidente da Cinep, Tatiana Domiciano, informou que o órgão participa da formatação deste projeto por meio da articulação de forças para os Arranjos Produtivos Locais (APL) em desenvolvimento na Paraíba. “A promoção do desenvolvimento econômico é voltada para a melhoria de condições de vida do povo paraibano. Desta forma, não basta apenas atrair grandes empresas e investimentos, estamos indo em cada microrregião do Estado para encontrar as melhores formas de promover o desenvolvimento”, destacou.

Para o diretor comercial da Norfil, Ariel Horovitz, o projeto de compra da produção de algodão orgânico na Paraíba trará benefícios sociais e econômicos para a empresa. “O primeiro resultado que esperamos ter é contribuir com o desenvolvimento econômico e social da população paraibana. E também esperamos agregar para a imagem da empresa o pioneirismo no trabalho com o algodão orgânico”, comentou.

Maysa Gadelha, presidente da CoopNatural, explicou que o projeto para o algodão orgânico assemelha-se com o executado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no qual há uma negociação de compra da safra anterior à colheita. “Nosso objetivo é garantir ao agricultor que o que ele planta terá destinação certa. Com a formação desta parceria com a Norfil, poderemos estruturar a produção, garantindo renda fixa para os agricultores e segurança alimentar para as famílias”, detalhou.

O Governo do Estado tem o papel no fomento e articulação dos Arranjos Produtivos Locais (APL), que são organizações com a finalidade de produção em algum setor econômico. Para o algodão orgânico, a formação de um APL representa a devida projeção de uma atividade e sua efetiva participação econômica na indústria têxtil.

Os próximos passos serão reuniões com os produtores do Cariri e Sertão, conforme especificou o secretário Marenilson Batista. “Deveremos iniciar as conversas nas cidades de Aparecida e Sousa, ou mesmo outras cidades, mas sempre com a formatação de um polo de referência que estará especificado em um plano de ação”, comentou.