João Pessoa
Feed de Notícias

Governo e moradores se reúnem para discutir construção do Binário de Bayeux

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 - 19:49 - Fotos: 
Uma equipe de técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) vai se reunir, na manhã desta terça-feira (25), com os moradores da cidade de Bayeux, para discutir e buscar alternativas que permitam a retomada das obras de construção do binário formado pela Avenida Liberdade (que será mão-única no sentido João Pessoa/Santa Rita), e pelas ruas Pinheiro Machado e Elvira Marscicano (que comporão a via de mão-única no sentido Bayeux/João Pessoa). A reunião será realizada a partir das 9h, em um dos trechos das ruas Pinheiro Machado e Elvira Marscicano, que formam uma única avenida.

Financiado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES), no valor total de R$ 10 milhões, o binário já tem projeto pronto e a obra inclusive já foi iniciada. Acontece, entretanto, que na parte das ruas Pinheiro Machado e Elvira Marscicano há a necessidade de desapropriação de uma média de 150 casas, conforme observa o superintendente do DER, engenheiro Carlos Pereira de Carvalho. Por recomendação do governador Ricardo Coutinho, para quem “não se pode fazer nenhuma obra, por mais importante que seja, para prejudicar comunidades”, o binário teve sua construção suspensa para que o Governo, de comum acordo com os moradores das duas ruas, encontre a melhor solução para o caso.

“O binário atravessa a Avenida Liberdade e também duas avenidas muito habitadas de Bayeux (ruas Pinheiro Machado e Elvira Marscicano) e tem por objetivo desafogar o trânsito de Bayeux, que é terrível. Nessas duas vias mais ou menos 150 casas serão atingidas”, comentou Carlos Pereira. Segundo o superintendente, para alargar as duas ruas que comporão o sentido Bayeux/João Pessoa será necessário desapropriar cerca de 150 imóveis.

“O governador encomendou que fosse feita uma visita ao local e se tentasse, o mais possível, minimizar os efeitos dessas desapropriações. Ou seja, se nós pudermos evitar pegar casas dos dois lados, nós vamos evitar; se o projeto puder ser executado de um lado só, e houver casa na parte de traz dos imóveis, a gente só vai pegar a casa da frente; e se for possível salvar as casas e só sacrificar um pouco das calçadas, assim o faremos. Agora, o que a gente não pode é colocar em risco a vida dos moradores”, enfatizou.

Durante a reunião desta terça-feira, uma das questões que será colocada para os moradores é a possibilidade das casas que serão desapropriadas serem relocalizadas para uma área no próprio município de Bayeux, isso por meio de uma ação conjunta do Governo do Estado, através da Cehap, com a Prefeitura de Bayeux.

Resolvido o impasse e definida a relocação dos moradores, que serão devidamente indenizados, as obras serão imediatamente recomeçadas. A previsão de conclusão é para o final deste ano.